06/09/2017 às 23h03min - Atualizada em 06/09/2017 às 23h03min

Em sessão morna, indicações aprovadas e fala de Wilson Leite contra o governo são os destaques

Após semanas de polêmica e plenária lotada, sessão transcorre de maneira tranquila, mas os discursos inflamados contra o governo continuam

Kleysykennyson Carneiro - Jornal In Foco
Fotos: Ricardo Mesquita
A primeira sessão do legislativo realizada em setembro foi bem diferente de todas as que aconteceram durante o mês de agosto. Após sucessivas lotações de plenária, e até mesmo recorde de participantes, a 26ª Sessão do Legislativo foi morna e com a presença mediana de público. Apenas duas indicações e alguns Projetos de Lei foram aprovados. Em uma das sessões mais rápidas do legislativo em 2017, os parlamentares falaram sobre o passado, a importância da renovação no poder e o vereador Wilson Leite (PDT) mostrou total descontentamento com a gestão de Jeová Andrade.

 

O Grande Expediente começou com a entrega do certificado de contas aprovadas, referente ao ano de 2007, a Zito Augusto, ex-presidente da Câmara Municipal de Canaã dos Carajás. Zito se mostrou surpreso com o recebimento do documento e falou sobre isso: “É uma honra receber publicamente e, sem sombra de dúvidas, é um enriquecimento para o meu currículo. É um grande privilégio.” Em sua fala, o ex-presidente destacou a renovação de vereadores para a atual legislatura e a importância disso para o avanço do município.


 
Já o vereador Wilson Leite, que tomou a palavra após Zito, ressaltou a importância da aprovação de contas por parte dos gestores e lembrou que há presidentes que ainda não tiveram o mesmo êxito. O parlamentar, ainda em sua fala, fez um pequeno apanhado sobre os últimos anos de governo do Partido dos Trabalhadores em todo o Brasil: “Esse partido, que governou o país nos últimos 14 anos, tem bons nomes, como o Zito Augusto, o vereador João Batista, o ex-senador Eduardo Suplicy, entre outros. No entanto, o legado deixado é de prejuízo.”


 
Fazendo um paralelo com o executivo nacional, o legislador disse que a gestão atual do município não tem sido boa. O pedetista criticou a falta de diálogo por parte do governo: “O poder executivo não tem sentado para conversar. O que ele tem feito é apresentar relatórios fajutos achando que enganam alguém. Já são oito meses de gestão e eu acho que chegou ao limite.”
 
Wilson também destacou a sua opinião sobre a crise atual: “O problema é que este governo foi acostumado a administrar com muito dinheiro. Quem tem o que comer em casa não sente fome, mas sim apetite.” Ainda durante a sua fala, o vereador disse estar triste com a situação atual: “O reflexo das demissões virá daqui 30 dias. O comércio sentirá a falta dos três milhões. E o governo está querendo culpar os vereadores por esse corte, por não termos aprovado aquele Projeto de Lei, aqui não, papai! Os problemas são de responsabilidade do próprio poder executivo, eles que se resolvam. Não sou oposição ainda, mas o governo tem nos empurrado para isso.” Por fim, o vereador ainda falou sobre um antigo pedido seu das atas do IDURB: “Desde 1º de janeiro peço isso e ainda não tenho em minhas mãos. Pelo jeito, vou ter de ir ao Ministério Público! Vamos lutar por essa terra, essa pátria é nossa! Vamos zelar por Canaã!”
 
João Batista (PT) rebateu a fala do colega parlamentar e lembrou que o partido da qual faz parte errou bastante, mas que tem um legado na história da luta pela classe trabalhadora. O petista ainda disse que, Lula, apesar de criticado será novamente presidente da república e que a ex-presidenta Dilma foi tirada do seu posto por um golpe. O parlamentar ainda afirmou estar do lado da classe trabalhadora: “Eu dedico o meu mandato pra fazer o melhor que estiver ao meu alcance por essa gente.”
 
Indicações Aprovadas:
 
Durante o Pequeno Expediente da Sessão duas indicações foram aprovadas de forma unânime
 
Indicação 055/2017 – De autoria do vereador Rael da Marcenaria (PHS), pede ao executivo que construa a sede própria da Liga Esportiva Municipal.


 
Indicação 080/2017 – Solicita ao executivo que abra o trecho da Rua Bom Jesus no Bairro dos Maranhenses e pede a indenização da área a ser afetada.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »