29/08/2017 às 01h39min - Atualizada em 29/08/2017 às 01h39min

Donos de estabelecimentos noturnos se reúnem com autoridades para discutir melhorias para o segmento

Após a polêmica envolvendo o setor na última sexta-feira (25), quando bares foram fechados à meia noite, proprietários discutem soluções para essa problemática

Kleysykennyson Carneiro - Jornal In Foco
Fotos: Ricardo Mesquita
Em tempos de crise, como aliar a necessidade do comerciante sobreviver com seu estabelecimento e ao mesmo tempo manter a ordem e o sossego na cidade? Quem trabalha na noite com seu bar, clube ou boate sabe bem como é enfrentar esse dilema. Na noite desta segunda-feira (28) vários proprietários de estabelecimentos do setor se reuniram no auditório da Secretaria de Desenvolvimento Econômico para buscar soluções para essa problemática. Na última sexta-feira (25) bares foram fechados à meia noite pela Polícia Militar e a polêmica se fez em torno do assunto. Algumas autoridades locais estiveram presentes e participaram do debate, entre elas, o prefeito Jeová Andrade, o presidente da Câmara, Junior Garra, o comandante da PM em Canaã, Tenente Guimarães, o secretário de desenvolvimento econômico, Jurandir José, o secretário de trânsito Uescley Amorim e o delegado Bruno, representando a Polícia Civil.


 
O prefeito Jeová ressaltou, em sua fala, a necessidade de se retomar o diálogo sobre o assunto e disse ter ficado satisfeito por ver que o tenente Guimarães, junto com sua equipe, estão preocupados com o bem estar da cidade. “Acredito que temos a capacidade de dialogar e ter harmonia nessa questão. A nossa proposta é encontrar um meio termo entre os comerciantes e a população. Todos têm condições de ceder em algum ponto para viver em harmonia. Se organizar é uma missão de todos” afirmou o gestor.


 
Junior Garra, por sua vez, elogiou a atuação do comandante da PM e o parabenizou pela preocupação com a poluição sonora. O presidente alertou aos donos de bares que não são necessárias ordens para que se cumpra a lei. “Em nosso município, a cada esquina funciona uma mini boate. Os estabelecimentos precisam cumprir a lei orgânica do município. Acredito que isso que estamos fazendo é a melhor saída, pois o diálogo é sempre a melhor forma” concluiu o parlamentar.


 
O delegado Bruno também falou sobre as operações no bares e sugeriu às autoridades presentes que se faça um trabalho de conscientização nos estabelecimentos. Divino, que está à frente do Código de Postura no município, leu alguns artigos da lei que regulamenta o trabalho dos estabelecimentos noturnos. Além disso, Divino chamou a atenção também para a ocupação irregular de calçadas com mesas e cadeiras.


 
O empresário Junior Super classificou o ocorrido de sexta-feira como um equívoco e disse que o comerciante precisa faturar para que possa sustentar a sua família e as famílias de seus funcionários. “Nós vivemos em um país que está em crise, precisamos buscar um diálogo para que o comerciante ganhe e também cumpra o regimento. Minha sugestão é que os horários sejam mais flexíveis, que o sábado vá até 4 da manhã e o domingo vá até 1” disse ele.


 
Os proprietários dos estabelecimentos também puderam falar. Mostraram insatisfação com a decisão tomada na última sexta-feira e sugeriram algumas soluções, entre elas o aumento da tolerância quanto aos decibéis permitidos e a instalação de dispositivos que marquem a altura permitida nos aparelhos de som. Um empresário justificou a altura do volume acima do permitido pelo descaso de alguns DJ’s contratado para tocar a festa. Segundo ele, muitas vezes os músicos não percebem e acabam prejudicando o contratante.


 
O tenente Guimarães replicou a fala do empresário e disse que tudo o que acontece dentro do estabelecimento é de responsabilidade do proprietário. De acordo com o comandante, a imensa maioria tem sido fiel ao regimento, mas uma pequena minoria é responsável pela quantidade de polêmicas em torno do assunto. “Entendemos que a crise atinge a todos, mas isso não é justificativa para o empresário descumprir a lei. Essa reunião é importante para esclarecer alguns pontos. Acredito que tudo é uma questão de bom senso. A polícia não é desumana, está aqui apenas para cumprir o seu dever” afirmou.


 
Ao fim, o tenente Guimarães acordou com os proprietários que o horário de funcionamento será estendido às sextas e sábados até as 3 da manhã, mas que haverá mais rigor na fiscalização aos estabelecimentos noturnos. 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »