07/06/2018 às 09h20min - Atualizada em 07/06/2018 às 09h20min

Goleada liga alerta, mas Dado promete frieza para analisar erros em Criciúma

Técnico do Paysandu afirma que foi a pior atuação do time na competição, assegura avaliação de continuidade do esquema tático e nega possível saída de Cassiano

GloboEsporte.com, de Belém (PA) - Jornal In Foco
globoesporte.globo.com
Paysandu foi dominado a maior parte do jogo e chegou poucas vezes ao ataque (Foto: Jorge Luiz/Paysandu)
Paysandu chegou ao seu pior momento na Série B do Brasileiro. Acabou derrotado na noite desta terça-feira para o Criciúma com uma atuação indiscutivelmente apática. Por isso, acabou goleado por 4 a 1 e termina a rodada fora do grupo de acesso. Para o técnico Dado Cavalcanti também não há dúvidas: foi a pior atuação do time na temporada.
 
– Foi a pior partida, sem sombra de dúvidas, olhando o contexto total do jogo. (...) O lance crucial para mim foi o primeiro gol que o Zé Carlos fez. Nós tínhamos uma linha de cinco defensiva e isso talvez seja um resumo muito fiel do que foi a nossa equipe em campo: o Zé fez um gol no segundo pau com retorno de um dos homens de frente. Então a nossa equipe se desorganizou nesse momento e o adversário levou vantagem em cima disso – analisou.
 
+ Confira a classificação atualizada da Série B do Brasileiro
 
O primeiro tempo foi o pior momento do time na partida. Pressionado pelas linhas altas do adversário, o time bicolor não conseguia manter a posse de bola.
 
– O Criciúma ficou rondando muito a nossa área e talvez trouxe um pouquinho mais de atenção redobrada. Com isso a bola começou a ser rifada à frente de qualquer forma, cedemos à pressão do adversário. O Criciúma já tinha nos alertado disso, fizeram igual e muito bem contra o Avaí. A partir dos 15 minutos do primeiro tempo foi o que aconteceu conosco. A gente não conseguiu fazer o jogo andar, não conseguimos colocar a bola no chão e foi uma bola de neve. O problema foi evoluindo, o Criciúma chegou ao 2 a 0 e trouxe desconfiança para a nossa equipe, trouxe um pouquinho mais de impaciência e começamos a mais uma vez jogar a bola para frente de qualquer forma. O Criciúma comandou as ações do jogo – lamentou.
 
"É passar um borracha porque realmente desse jogo pouca coisa produtiva vai ficar de exemplo para a próxima partida"
Quando o Papão conseguia recuperar a bola, rapidamente a entregava de volta ao adversário, fosse em erros de passes curtos, ligações diretas ou meramente chutões para frente. Isso foi o que mais incomodou o técnico bicolor.
 
– Além do gol, a pressão do Criciúma nos abateu de uma forma assustadora. A nossa equipe parou de jogar, de rodar a bola, de ficar com a bola nos chão. Começamos a fazer ligações diretas e o nosso time não está preparado para isso. Não somos um time que joga em ligação direta, que faz bolas longas. Fazendo isso a gente privilegiava o Criciúma, que ganhava a primeira bola, tinha um losango no meio que facilitava a segunda bola ser ganha. O ataque do Criciúma tinha mais peso do que um ataque nosso desorganizado – avaliou.
 
A derrota também levou desconfiança ao esquema tático que vem sendo adotado desde a reta final do estadual e utilizado em todos os jogos da Série B até aqui. Dado Cavalcanti não descarta abrir mão do 3-4-3.
 
– É sempre revisto (o esquema tático). Só que eu não posso generalizar porque conta de um jogo ruim, chegar na coletiva e dizer que eu vou mudar. Nós vamos visualizar com mais frieza o que aconteceu de errado, porque estamos 9ª rodada. O sistema deu certo durante seis ou sete rodadas, não vai dar certo em uma ou duas e por isso vamos mudar? Esse questionamento precisa ser feito, mas com tranquilidade – adiantou.
 

Thomaz fez o único gol do Paysandu no jogo, que teve assistência de Cassiano (Foto: Jorge Luiz/Paysandu)

O atacante Mike recebeu seu terceiro cartão amarelo e fica suspenso diante do Goiás, próximo adversário do Paysandu. Como a delegação parte de Criciúma direto para Goiânia, onde enfrenta o Esmeraldino na sexta-feira, pode ser que um jogador que permaneceu em Belém integre o grupo.
 
– É uma opção (levar alguém de Belém). A gente vai avaliar, ainda não tive essa conversa com a comissão técnica. Isso será avaliado – afirmou Dado.
 
Por fim, o técnico desmentiu que Cassiano possa estar de saída do clube. Artilheiro da Série B com seis gols – são 20 na temporada inteira até aqui –, o atacante não recebeu nenhuma proposta até o momento.
 
– Todo jogador que se destaca traz a possibilidade de saída, mas nós, internamente, não temos nada. Não trabalhamos com essa hipótese. Inclusive já havia dito antes que existem alguns mecanismos de tentativa de manter o Cassiano. Lógico que tem algumas condições que fogem do alcance de qualquer clube no Brasil, ainda mais para um da Série B. Mas não temos, internamente, nada disso. Não chegou nada para a nossa direção e não contamos com isso ainda – garantiu.
 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »