27/02/2018 às 21h26min - Atualizada em 27/02/2018 às 21h26min

Canaã: Justiça determina que greve geral está suspensa e que servidores devem voltar ao trabalho imediatamente

O Tribunal de Justiça também determinou que uma multa de R$ 3 mil por dia deverá ser aplicada aos que desrespeitarem a medida

- Jornal In Foco
Foto: Jefferson Almeida
O Tribunal de Justiça do Estado do Pará determinou na tarde desta terça-feira (27) a suspensão imediata da greve geral no município de Canaã dos Carajás. A decisão do desembargador Luiz Gonzaga da Costa Neto também determina que os servidores grevistas voltem aos postos de trabalho imediatamente, sob pena de R$ 3 mil por dia de descumprimento da medida judicial. O anúncio da decisão foi feito durante coletiva de imprensa no gabinete da Prefeitura Municipal. Vários veículos de comunicação da cidade estiveram presentes no momento e o prefeito falou ao vivo para a Rádio Correio FM de Canaã dos Carajás. Além de Jeová Andrade, o procurador geral do município, Hugo Leonardo de Farias, e os secretários Gean Meirey, André Wilson, Arleides de Paula, Uescley Amorim e Edilson Valadares estiveram presentes.
 
A paralisação geral dos servidores teve início na última segunda-feira (19). O funcionalismo público pede um reajuste de 31% no salários. A Prefeitura Municipal entrou com o recurso pedindo a intervenção judicial na última quinta-feira (22), logo depois de receber uma notificação do Tribunal de Contas dos Municípios do Estado do Pará (TCM-PA) alertando sobre a alta folha de pagamento do município. Segundo o governo, a Prefeitura não tem condições de conceder o reajuste pedido no momento e será necessário uma análise da economia nos dois primeiros quadrimestres do ano para que se verifique a possiblidade do aumento.
 
O prefeito Jeová explicou que, apesar do fim da greve, as negociações com os sindicatos continuam: “A mesa de negociações foi criada por decreto e as reuniões vão continuar acontecendo. O município vai buscar maneiras de conceder o reajuste aos nossos funcionários públicos. Vamos continuar sempre buscando o diálogo e tentando encontrar a melhor maneira de se resolver essa questão. Quero dizer às categorias que voltem aos seus postos de trabalho. Já temos uma primeira reunião da mesa no dia 14 de março.”
 
Já Hugo Leonardo, fez uma pequena retrospectiva da greve. O servidor lembrou do alerta do TCM e explicou que essa foi a razão do município ter entrado com ação contra a greve: “Sentimos a necessidade de levar essa demanda até o judiciário. A justiça entendeu que a greve é ilegal e determinou o imediato retorno dos servidores ao trabalho. Os sindicatos serão notificados o quanto antes e uma audiência de conciliação entre as partes já está marcada para 16 de março.”
 
O sindicato dos servidores se manifestou através de nota nas redes sociais e disse que a greve continua até que todos os sindicatos sejam informados da medida através de um oficial de justiça. Ainda em nota, o sindicato afirmou que entrará com recurso em até 48 horas.
 
 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »