24/05/2017 às 22h24min - Atualizada em 24/05/2017 às 22h24min

Última semana da vacinação contra gripe

Campanha nacional segue até essa sexta-feira, dia 26 de Maio.

Karla Rocha - Jornal In Foco
     O Ministério da saúde disponibilizou 60 milhões de doses que estão distribuídas nos posto de vacinação de todo Brasil. O Ministério alerta que é de extrema importância que todos estejam imunizados antes do início do inverno que ocorrerá no dia 21 de Junho.
   No ano de 2016 o vírus H1N1, provocou a morte de 2.220 brasileiros, o estado de São Paulo foi onde ocorreu o maior número 352, seguido pelo Rio Grande do Sul com 82 vítimas fatais. A vacinação deve ser realizado anualmente, já que os anticorpos dificilmente duram mais que 12 meses.
    O público prioritário da campanha são pessoas com mais de 60 anos, crianças entre seis meses a cinco anos, professores de ensino da Rede pública e privada, mediante a comprovação da atividade profissional (carteira funcional, contracheque, declaração); gestantes, mulheres que tiveram filho nos últimos 45 dias, portadores de necessidades especiais, pessoas com doenças crônicas, que devem levar a prescrição médica, indígenas e profissionais da saúde.
  • Outras vacinas
     A Secretaria Municipal de Saúde informa que todas as vacinas do calendário do Ministério da Saúde estão disponíveis nas unidades. Quando há alguma falta no estoque, a vacina tem sido reposta com rapidez. Em relação à vacina contra a Febre Amarela, cabe lembrar que o Ministério da Saúde segue orientação da Organização Mundial da Saúde (OMS) para prevenção da doença em áreas em que a imunização é recomendada. No Brasil, portanto, as pessoas que já tomaram uma dose não precisam se vacinar mais ao longo da vida. Segundo o Ministério da Saúde, a segunda dose não é mais recomendada por considerar que a imunidade protetora desenvolve-se dentro de 30 dias em 99% dos casos de pacientes que recebem uma dose da vacina.
    A H1N1 é a mutação do vírus da gripe, sua transmissão acontece através de secreções respiratórias como tosse, espirros ou também de objetos contaminados. Os principais sintomas são: dor de cabeça, garganta inflamada, dor no corpo, cansaço, diarreia e vômitos. Em casos mais grave pode ocorrer falta de ar, dores no peito, tontura e confusão mental.
     O tratamento é realizado através de antivirais específicos, transcrito pelo médico e muita hidratação. Para prevenção, além da vacinação, devem ser adotados hábitos que evitem a contaminação como: lavar sempre as mão com água e sabão, usar lenços descartáveis, evitar tocar nas regiões dos olhos, boca e nariz, não compartilhar objeto pessoais como garrafas, copo e talheres e sempre cobrir a boca quando espirrar ou tossir.
     Ao comparecer nos postos de atendimentos, não se esqueça de levar o cartão de vacinação da criança e o adulto a carteira de Identidade.
 
 
  • Quem mais poderá se vacinar?

     
    A Secretaria de Educação destaca que, durante o período da campanha, a vacinação será realizada exclusivamente no público alvo. Ao fim da campanha, havendo saldo de doses e atendendo recomendação do Ministério, pode haver liberação para o público em geral.
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »