02/10/2017 às 11h15min - Atualizada em 02/10/2017 às 11h15min

Seleção de Canaã empata com o PFC em jogo amistoso no Benezão

Mesmo com Aleilson e Thiago Potiguar em campo, PFC não saiu do empate com uma talentosa seleção local

Kleysykennyson Carneiro - Jornal In Foco
Fotos: Ricardo Mesquita e ASCOM
O público estava animado para o tão aguardado amistoso entre a Seleção de Canaã dos Carajás e o Parauapebas Futebol Clube, equipe profissional do município vizinho. Desde muito cedo, as arquibancadas já estavam lotadas e a ansiedade para o apito inicial já reinava entre os torcedores. O amistoso faz parte do circuito de eventos em homenagem aos 23 anos de emancipação política de Canaã dos Carajás. O PFC, em preparação para a disputa da segunda divisão do paraense, trouxe a campo duas estrelas do futebol estadual: Aleilson e Thiago Potiguar. Os experientes e talentosos jogadores mostraram que vão dar trabalho no campeonato. Conhecido pela rapidez, Aleilson, ex-jogador do Flamengo, deu trabalho para a zaga local, enquanto o camisa 10, Thiago Potiguar, sempre de cabeça erguida, comandava o meio-campo do time de Parauapebas.
 
Antes da bola rolar, a Fundação de Cultura Esporte e Lazer (FUNCEL) fez a entrega dos novos uniformes para as equipes locais que disputam o Campeonato Municipal.


 
Já para o jogo, várias autoridades estiveram presentes, entre elas o prefeito Jeová Andrade, o vice Alexandre Pereira, os vereadores Baiano do Hospital e Maria Pereira, os secretários Agnaldo Costa, André Wilson e Edilson Valadares, Agnaldo Costa, o diretor-presidente da FUNCEL, Jander Fonteles, além do secretário de esportes de Parauapebas, Laoreci Diniz, e o presidente do PFC, João Luís.


 
O prefeito Jeová, que arriscou até alguns chutes e uma corrida, falou sobre o amistoso: “Mais um evento importante! Hoje a Seleção de Canaã está recebendo o PFC e lógico que estamos torcendo por Canaã, mas a torcida maior é para que seja um jogo maravilhoso e que as duas equipes sejam bem sucedidas. Este é mais um evento em alusão ao aniversário da cidade e já nesta segunda-feira teremos muito mais, como o torneio de vôlei, que continua acontecendo, várias inaugurações de obras, teremos o ‘Canta Cidade’, e na quarta-feira, o encerramento das atividades com um grande show de Matogrosso e Matias. Esperamos que o aniversário seja de paz e que a sociedade goste.”


 
Laoreci Diniz falou sobre a visita do PFC à Canaã: “É importante a gente trazer o nosso time profissional, homenagear a cidade nesta integração do futebol. Para nós, é um grande passo na preparação para a nossa estreia na segunda divisão do paraense. Este ano vamos lutar pelo acesso à elite estadual. Além da confraternização do amistoso, essa também é uma preparação para nós.


 
João Luis falou sobre a jornada de formação do time e da luta pelo acesso à primeira divisão: “Este é um momento importante, de muita preparação, vamos estrear no paraense. Hoje aqui nós vamos começar a visualizar os nossos jogadores, o posicionamento, rendimento e não deixa de ser uma preparação, apesar de ser um amistoso. A nossa temporada começa no dia 15, lá no Rosenão, contra o Desportivo de Belém, jogo duríssimo. E eu já deixo o convite a todos os nossos torcedores para que compareçam ao jogo.”


 
Escalação
 
Seleção de Canaã: Jackson (Abraão); Jonathan (Alan), Rodriguinho, Leandro, Coiote (Cleber), Ozart (Wadson), Rafinha, Sávio (Dione), Diogo (Clécio), Ivon (João Thiago) e Maninho; Técnico: Biro-Biro.


 
PFC: Cleriston (Matheus); Bruno Leite (Wanderson), Marcio (Lucas Pará), Silvio (Cris), Neilson, Wanderlan, Francesco (Mateus Moreno), Felipe Baiano (Everton Luis), Tozim (Danúbio), Thiago Potiguar (Luciano) e Aleilson; Técnico: Everton Goiano


 
Quarteto de arbitragem: Joelson Galvão, Juciell Jacob de Almeida, Jovani Santanta Santos e José Bonfim Fernandes da Silva


 
1º tempo
 
O jogo começou com muito respeito entre as duas equipes. O meia Felipe Baiano distribuía passes a favor do PFC, mas a marcação da Seleção local era implacável. Por Canaã, Rafinha tentava sair para o jogo, mas também esbarrava na dura marcação adversária. Durante quase 10 minutos, a partida ficou bastante amarrada pelo meio campo, período em que os times se estudaram.


 
A partir dos 10, no entanto, o PFC, com a experiência de Thiago Potiguar tomou conta da partida e, em alguns momentos, pôs a equipe local para assistir à troca de passes do time profissional. Fazendo boas jogadas pela esquerda, a equipe forçou a passagem pelo setor e levou perigo várias vezes à meta do goleiro Jackson. Tanta insistência deu resultado. Após cruzamento, a bola sobrou livre para o cabeceio de Felipe Baiano. 1 a 0 para o PFC, aos 17 minutos de jogo.


 
Canaã sentiu o golpe e o PFC, percebendo o bom momento, promoveu uma verdadeira ciranda no time local. Bastante pressionado e comento erros infantis, a seleção viu, aos 25, uma bola partir da direita em direção à área. O zagueiro Rodriguinho tentou cortar, mas acabou mandando pro fundo do próprio gol. 2 a 0, fora o baile do PFC.
 
Seguindo a partida e a pressão, Jackson ainda fez boas defesas e impediu a ampliação do placar. Aos 38, falta na intermediária para Canaã. Rafinha cobrou e o zagueiro Leandro foi no sétimo andar para o cabeceio e mandou pro fundo do barbante.
 
A partir daí, equilíbrio total e o time quase empatou numa bola que Diogo, cara a cara com o goleiro, desperdiçou. O PFC ainda teve uma oportunidade de aumentar o placar quando Aleilson saiu por trás da zaga e deu um toque de categoria por cima do goleiro. A bola, no entanto, por puro capricho, passou por cima do gol. Fim de primeiro tempo e 2 a 1 para o PFC.
 
Everton Goiano, que reclamou bastante da arbitragem durante o primeiro tempo, fez uma avaliação de sua equipe: “O resultado do jogo não importa muito. Estamos vendo mais a movimentação em campo, as jogadas pelos flancos, a nossa bola parada está boa. Esse é o nosso primeiro amistoso, a equipe ainda está muito presa, estamos sofrendo bastante, mas eu acredito que estamos no caminho certo. Em relação à arbitragem, não adianta reclamar: o juiz erra uma, acerta outra, é normal. Ele está dando muitas faltas e vocês têm um rapaz que bate muito bem na bola [Rafinha], teve um lance que a bola não saiu... Mas enfim, isso acontece.”
 
Biro-Biro, por outro lado, não escondeu sua insatisfação com o time: “A seleção começou muito acanhada. Eu já falei pra eles, o outro tipo é profissional, mas aqui dentro são 11 contra 11. Só no final do primeiro tempo conseguimos nos soltar. Pegamos dois gols por falhas nossas, da nossa zaga. Aí conseguimos fazer um gol e não empatamos por detalhes, mas no segundo tempo vamos tentar empatar. Vai entrar agora o goleiro Abraão, o Dione e o Wadson.”
 
Segundo tempo
 
E não é que a fala de Biro-Biro estava certa? O time realmente partiu para o empate e voltou para o jogo disposto a mostrar resultado. Após pressão, o centroavante Diogo recebeu a bola, se redimiu do gol perdido no primeiro tempo e balançou as redes do PFC já aos 7 minutos de jogo. 2 a 2.


 
A partir daí, muito equilíbrio entre as duas equipes. Aos 16, a torcida canaense tomou um susto, quando o ataque do PFC chutou três bolas em direção ao gol defendido por Abraão. O guarda redes fez duas defesas incríveis e a terceira esbarrou na trave.
 
Aos 25 minutos, um lance polêmico e passivo de várias interpretações. O atacante canaense saiu cara a cara com o goleiro. Para não deixar o gol acontecer, o goleirão fez a defesa com as mãos fora da grande área. Os jogadores se reuniram ao redor de Joelson Galvão e pediram a expulsão do atleta, mas o árbitro apaziguou a situação e apenas amarelou o guarda-metas Matheus, que entrou no segundo tempo.
 
A partir daí, o jogo permaneceu disputado no meio campo, mas os lances de perigo foram poucos. No final, justiça! 2 a 2 no placar e um bom jogo em alusão ao aniversário da cidade.
 
O craque Aleilson concedeu entrevista após o jogo: “Inicialmente eu gostaria de agradecer ao prefeito de Canaã pelo convite para o amistoso, que serve como preparação para a gente pro paraense. A expectativa para nossa estreia é a melhor. Estamos fazendo esses amistosos pra ganhar mais ritmo e preparo de jogo pra que quando a gente chegue na estreia possa desempenhar o nosso melhor trabalho. Sabemos que a segunda divisão é um campeonato difícil e precisamos nos preparar pra fazer um bom papel. O resultado foi justo, o pessoal reclamou muito com a arbitragem, mas isso faz parte do futebol, é normal.”
 
Jander Fonteles também fez a sua avaliação sobre a partida: “O jogo foi ótimo. A seleção de Canaã começou nervosa, mas no decorrer do jogo os meninos foram se soltando e fizeram um bom jogo com o time profissional, que está em formação, de Parauapebas. Mas é bom que se diga: sempre que um time profissional vem jogar aqui em Canaã, eles não fazem graça com a gente e sempre levam sufoco. Os meninos sempre vão pra cima e não deixam barato. Meus parabéns a todos os atletas que participaram do jogo, especialmente os de Canaã. Não temos ninguém de fora! Todo mundo é daqui e sempre conseguimos bons resultados. Começamos bem as nossas comemorações e acredito que essa semana será abençoada.”


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »