18/09/2017 às 08h27min - Atualizada em 18/09/2017 às 08h27min

Cascavel confirma favoritismo e vence o Boca Juniors por 2 a 0 no Municipal

Com um meio campo talentoso, uma zaga aguerrida e um goleiro fora de série, Cascavel é o time a ser batido no Municipal 2017

Kleysykennyson Carneiro - Jornal In Foco
Fotos: Ricardo Mesquita
O estádio Benezão foi o palco do jogão de bola entre Cascavel e Boca Junior, válido pela primeira divisão do Campeonato Municipal de 2017. A partida aconteceu na noite deste sábado (16), logo após o empate de 1 a 1 entre Marabá e Canaã. As equipes entraram em campo precisando do resultado para se firmar na competição. Para muitos uma final antecipada, Cascavel e Boca contou com um bom público e ânimos aflorados durante toda a partida. Apesar da pressão sofrida durante quase todo o jogo, a equipe do Cascavel mostrou ser forte concorrente ao título.


 
O prefeito municipal Jeová Andrade esteve no estádio e falou sobre a partida: “O Campeonato Municipal é bastante importante, tem várias participações, pois a sociedade vem muito para o campo conferir os jogos. Estamos esperando que o campeonato seja realmente abençoado, que todos possam sair com saúde, em paz, pois aqui é o lugar de jogo, de entretenimento... Infelizmente vemos em outros lugares brigas nos campos, esperamos que isso não chegue aqui jamais.”


 
Escalação:
 
Cascavel: André Tiago; Renato, Erivaldo, Maicon, Francinilsom, Anderson Neres, Lucas Silva, Matheus Moreno, Jherson, Alex Santiago e Higo;


Cascavel
 
Boca Juniors: Adriano, Ruan, George, Antônio Marcos, Anderson Silva, Elesandro, Lucas, Maycon Douglas, Manderly, Felipe Barreto e Darcy Barbosa;


Boca Juniors
 
Árbitro: Robson Junior da Silva
 
Assistentes: Juciell Jacob de Amorim e Antônio Rodrigues de Souza
 
4º árbitro: Joelson Galvão da Silva


 
1º tempo
 
Os dois times entraram em campo com propostas completamente diferentes. O Boca Juniors, com um time mais leve e mais rápido, insistia na jogada de velocidade pela lateral esquerda. Já o Cascavel, muito bem posicionado em campo, cadenciava mais o jogo e contava com o talento do meia Alex Santiago, que foi brilhante durante todo o primeiro tempo. Com boa movimentação, o camisa 10 do Cascavel não errou um único passe sequer durante todo a etapa.
 
Mas do outro lado, o camisa 10 do Boca, Felipe Barreto, não dava sossego aos marcadores do Cascavel. Com dribles rápidos e curtos, o jogador foi quem mais levou perigo à meta do Cascavel. Nos primeiros minutos, o Boca conseguiu manter a pressão e chegou a animar a torcida ao chegar perto da área em vários momentos.


 
Mas como pressão não ganha jogo, o Cascavel teve boa chance no contra-ataque e quase faz o gol. Na cobrança de escanteio, aos 19 minutos, após bate-rebate na área, o zagueiro Maicon recebeu a bola sozinho e cabeceou para o fundo do gol. 1 a 0 para o Cascavel e muita tranquilidade para administrar o placar.
 
Logo após o placar aberto, a pressão do Boca continuou a acontecer. Foi quando começou a brilhar a estrela do goleiro André Tiago. Após uma cobrança de falta magistral de Felipe Barreto, o guarda-rede se esticou todo para fazer uma defesa impressionante. Ainda no primeiro tempo, André fez mais duas defesas difíceis e conseguiu segurar o resultado.
 
Para complicar ainda mais a situação do Boca, o Cascavel foi cirúrgico em um contra-ataque puxado pelo meia Alex. Lucas Silva saiu na cara do gol e não perdoou, 2 a 0 Cascavel.
 
No intervalo, o treinador ‘Cabelo’, do Boca Juniors, falou sobre o jogo e o fato do seu time ter mais volume de jogo e não conseguir marcar nenhum tento: “É assim mesmo o futebol quando a gente erra, peca, daí acontece isso o que aconteceu. Nós erramos, tivemos a chance de fazer o gol e não fizemos. Acabamos tomando dois gols bobos. Para o segundo tempo, vamos empatar e virar.” Cabelo fez duas alterações ainda no primeiro tempo com o objetivo de ganhar mais velocidade no ataque.
 
Já o técnico do Cascavel, Santos, falou sobre a boa expectativa que tinha para o time no jogo: “A realidade é essa, a expectativa é boa, o time veio realmente para fazer um ótimo jogo, de igual para igual. O Boca é um time muito bom e tivemos a felicidade fazer os dois gols no contragolpe. Tomamos um pouco de pressão, mas eu creio que estamos fazendo uma ótima partida e vamos sair com essa vitória.”
 
O zagueiro Maicon, autor do primeiro gol, falou sobre o lance: “Tivemos a felicidade da bola sobrar para o nosso atacante e eu, graças a Deus, estava no local certo para cabecear. Já aqui na defesa, estamos devagar parando aos poucos o fluxo deles pela lateral esquerda.”
 
2º tempo
 
No segundo tempo, precisando do resultado, o Boca veio para cima com a faca entre os dentes. E até os 25 minutos foi só pressão. A muralha André Tiago precisou trabalhar bastante para manter a vantagem no placar. O duelo pessoal com Felipe Barreto continuou acirrado. O meia teve lampejos de genialidade durante a segunda etapa, mas nem isso adiantou para buscar o resultado.
 
Aos 22 minutos, o atacante do Boca apareceu sozinho, cara a cara com o goleiro, e deu um voleio belíssimo. Mas no puro reflexo, André fez a ponte e mandou a bola para a linha de fundo.
 
Aos 38, o Boca teve a última chance de marcar. O atacante recebeu a bola dentro da área, se livrou da marcação e acabou chutando para fora.
 
Fim de papo no Benezão. 2 a 0 para o Cascavel.
 
O goleiro André Tiago, eleito melhor em campo, falou sobre a vitória: “O Cascavel conseguiu formar um elenco muito forte. O Boca Juniors não é nada bobo e nos deram até pressão durante certo momento no jogo, mas é isso aí! Estamos trabalhando, disputando campeonatos e nos condicionando bem fisicamente, para quando o time não render o esperado ali atrás, a gente possa ajudar fazendo as defesas.”


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »