13/09/2017 às 00h31min - Atualizada em 13/09/2017 às 00h31min

Projeto Cidade Educadora é lançado em Canaã dos Carajás

O programa tem como proposta a melhoria na mobilidade urbana e mais segurança no trânsito local. Canaã é a primeira cidade da América Latina a receber o projeto

Kleysykennyson Carneiro - Jornal In Foco
Fotos: Ricardo Mesquita
Aconteceu na tarde desta terça-feira (12) o lançamento oficial do Projeto Cidade Educadora: Mobilidade Urbana e Segurança no Trânsito. Promovido pela Prefeitura, tendo a frente à Secretaria Municipal de Educação, o lançamento contou com a presença de algumas autoridades locais, entre elas, o prefeito em exercício, Alexandre Pereira, o presidente da Câmara Municipal, Junior Garra, os vereadores Dionísio Coutinho, Rael da Marcenaria e Baiano do Hospital, os secretários Agnaldo Costa, Edilson Valadares, Jurandir José e Erika Sobral, além de Fábio Queiroga, representante da Vale e Andreia Rabetim, representante da Fundação Vale. Eduardo Biavati veio como representante da Global Road Safety Partenership (GRSP) e Pedro Fernandes representou a Fundação Michelin. As melhorias na mobilidade urbana e a possibilidade de se construir um trânsito mais seguro estiveram na pauta da apresentação.


 
Canaã dos Carajás é a primeira cidade da América Latina a receber um projeto apoiado pela Michelin. A ideia surgiu quando a cidade foi a única representante da região norte em um congresso mundial realizado em Rosário, na Argentina. A ideia do programa é que os alunos da Educação de Jovens e adultos (EJA) recebam formação técnica, pelos professores, e sejam multiplicadores das propostas de arborização, sinalização de vias, mobilidade e calçamento. De acordo com os representantes da Michelin, a ideia é que até 2020 Canaã dos Carajás seja uma cidade sustentável do ponto de vista da mobilidade urbana.


 
A parceria firmada entre a empresa e o município é de quatro anos e se baseia em três eixos: Formação e experimentação, sensibilização e mobilização comunitária, plano de ação e monitoramento da cidade. O principal objetivo do programa é a promoção da melhoria de vida da população local, fortalecendo o protagonismo com foco na mobilidade urbana e segurança no trânsito.
 
Junior Garra pôs o poder legislativo à disposição para que o projeto tenha, de fato, êxito. Alexandre Pereira, por sua vez, enfatizou que a maior riqueza do município é o povo e afirmou que, aos poucos, o governo conseguirá mudar a realidade dos habitantes locais.


 
Fábio Queiroga, em nome da Vale, agradeceu a todos pelo comprometimento na causa: “Ações como essa nos dizem que estamos no caminho certo: um caminho de diálogo” afirmou. Andreia Rabetim, da Fundação Vale, ressaltou a importância da cooperação para a construção de uma cidade melhor: “Cooperar é construir junto. A Fundação vem tendo um bom nível de aprendizado com todos e trabalhar junto é um aprendizado diário.”


 
Eduardo Biavati enfatizou a importância do projeto para o município: “Se nós conseguirmos construir esse patamar de segurança, podemos mostrar para outras cidades que dá para fazer. Nós não estamos condenados a morrer no trânsito, podemos mudar isso! Não há direito à educação sem um trânsito seguro.” O representante da GRSP lembrou ainda que quem paga o maior preço por um trânsito inseguro são os pedestres e motociclistas e que isso pode ser mudado com educação. Já Pedro Fernandes, fez uma apresentação sobre a empresa, apresentou dados sobre acidentes no trânsito e também enfatizou a vital importância do programa para a região.




 
Segundo dados, o INSS gasta todos os anos R$ 8 bilhões com acidentes de trânsito e o SUS, cerca de R$ 167 milhões. De acordo com os idealizadores, Canaã pode se tornar um modelo para toda a região no quesito mobilidade urbana. Uma palestra será realizada já nesta quarta-feira, no Centro de Formação de Servidores, com o especialista Sérgio Andrade.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »