26/03/2020 às 09h19min - Atualizada em 26/03/2020 às 09h19min

​Assessores afirmam que Bolsonaro editou decreto após pedido de líderes religiosos

Presidente autorizou decreto que inclui atividade religiosa como essencial, mesmo durante a quarentena.

- Jornal In Foco
G1
Auxiliares do presidente Jair Bolsonaro disseram ao blog, nesta quinta-feira (26), que ele atendeu a um pedido de religiosos de diferentes igrejas — como a católica e evangélica — ao autorizar o decreto que inclui atividade religiosa como essencial, mesmo durante a quarentena.
 
Procurados pelo blog, assessores justificaram "preocupação" dos religiosos com a Semana Santa, que acontece em abril, "com a parte emotiva" das pessoas — e, por isso, o presidente autorizou missas. Segundo palacianos, pastores e arcebispos procuraram o governo com esse apelo.
 
Perguntado pela reportagem sobre as recomendações para que não haja aglomerações durante o período de isolamento, por conta do coronavirus, governistas disseram ao blog que o decreto é um “amparo” para que prefeitos não proíbam missas e cultos dos religiosos que queiram realizá-las. E dizem que a instrução, mesmo para religiosos, é evitar aglomerações- realizando missas menores.
 
O presidente Bolsonaro tem como forte base de apoio político e eleitoral religiosos.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »