07/09/2017 às 00h44min - Atualizada em 07/09/2017 às 00h44min

Servidores públicos municipais de Canaã dos Carajás deflagram greve geral no município

Após várias manifestações e polêmicas nas últimas semanas, servidores se reúnem para tentar novo acordo

Atila Penha - Jornal In Foco
Fotos: Ricardo Mesquita
Nesta quarta-feira 06, cerca de 400 servidores públicos se reuniram na sede do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Pará (Sintepp), em Canaã dos Carajás, para discutir as seguintes pautas: Reajuste salarial, discussão do projeto 030/2017 e a greve geral no município.


 
Os funcionários, que na última semana realizaram várias manifestações contra o corte de benefícios e redução salarial, convocaram mais uma reunião, após o decreto emitido pelo governo que prevê demissões e cortes no orçamento com o funcionalismo público. O ato teve início às 17 horas e contou com a presença do prefeito Jeová Andrade e lideranças de vários sindicatos locais.
 
Alguns dos servidores protestaram contra a redução de salário e ressaltaram a falta de pagamento do INSS. Foram colocadas duas propostas em discussão com o prefeito Jeová: a primeira, de greve geral no município, e a segunda, de auditoria nas contas da prefeitura feita pelos próprios servidores.


 
Após as propostas serem apresentadas, Jeová Andrade falou por 14 minutos e ressaltou que a situação atual dos cofres públicos é ruim pela má gestão de mandatos passados. O gestor falou também dos projetos feitos na cidade e das melhorias que pretende fazer futuramente. Jeová propôs ainda uma mesa para que fosse discutido com mais calma a situação.


 
"Queremos que o prefeito saia daqui com um compromisso de trabalho " disse um servidor. Após não ter um acordo firmado, foi feita a votação da greve e a esmagadora maioria dos presentes foi a favor. Somente 3 presentes foram contra a paralisação.
 
Quando questionado se iria analisar a possibilidade de reajuste, Jeová falou: "É impossível pensar em reajuste esse ano, o que nós queremos é manter a qualidade de trabalho e manter o salário dos servidores em dia."


 
A principal representante dos servidores, Luzinete, falou: "Nós iremos fazer um trabalho de conscientização com a população, vamos vincular os meios de comunicação, televisão, rádio e carros de som, deixando a população a par da situação difícil do servidor público "


 
O próximo passo do movimento será dado pelos sindicatos. Estes protocolarão documentos em suas secretarias informando que a categoria, em assembleia, optou por greve. Os servidores irão seguir orientação do Supremo Tribunal Federal, que determina o início da greve somente após 72 horas em dia úteis, depois de ser anunciada. A paralisação será protocolada na segunda-feira (11) e terá início na próxima sexta-feira (15).
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »