02/10/2019 às 11h47min - Atualizada em 02/10/2019 às 11h47min

Bolsonaro diz que 'é importante investigar', mas pede ao MPF correção de eventuais erros para evitar sanções futuras

Presidente discursou em cerimônia na PGR que marcou a posse de Augusto Aras como novo procurador-geral da República. 'Somos humanos e erramos', afirmou na solenidade.

- Jornal In Foco
G1
Reprodução: Internet
O Presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quarta-feira (2), durante cerimônia na Procuradoria Geral da República, que é importante que o Ministério Público investigue crimes, mas pediu aos integrantes do órgão que corrijam eventuais erros na condução das investigações para evitar eventuais punições no futuro.

Bolsonaro deu a declaração ao participar da cerimônia de posse pública de Augusto Aras como procurador-geral da República. Aras foi empossado na semana passada, no Palácio do Planalto, mas a PGR organizou nesta quarta-feira uma solenidade na sede do órgão, em Brasília.

Sem dar detalhes e sem citar casos específicos, o presidente fez um apelo aos integrantes do Ministério Público para que eles apontem eventuais erros do governo a fim de que se possa corrigi-los.

“É um apelo que faço a todos do MP. É importante investigar, é importante fazer cumprir a lei, mas por muitas vezes, se nós estivermos em um caminho não muito certo, e muitas vezes estamos fazendo aquilo bem-intencionados, nos procurem para que possamos corrigir. Corrigindo é muito melhor do que uma possível sanção lá na frente", disse Bolsonaro no discurso.

"Somos humanos e erramos”, completou o presidente.

Propostas "salgadas"

Bolsonaro também elogiou os parlamentares presentes na cerimônia, entre os quais os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), considerados por ele figuras “chaves” para que as propostas do governo sejam aperfeiçoadas no Congresso, mesmo que em alguns casos estas sejam “salgadas”.

“Algumas [propostas são] um pouco salgadas, mas somos obrigados a agir desta maneira para que lá na frente todos possam sobreviver e ter dias melhores”, afirmou Bolsonaro.
Mais cedo, ao conversar com apoiadores no Palácio da Alvorada, Bolsonaro afirmou que lamentava a necessidade de aprovar mudanças nas aposentadorias, mas que sem a reforma da Previdência o Brasil corre o risco de quebrar em dois anos.

O comentário foi feito após o plenário do Senado aprovar, em primeiro turno, o texto-base da proposta da emenda à Constituição da reforma da Previdência.
Os senadores ainda precisam votar os destaques, que podem alterar o texto da proposta, para concluir a votação em primeiro turno. O Senado convocou uma sessão extraordinária para as 11h desta quarta-feira. Após a análise em primeiro turno, ainda será necessário aprovar a reforma em segundo turno.
 

 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »