08/06/2017 às 18h19min - Atualizada em 08/06/2017 às 18h19min

Sindicato dos Servidores Públicos de Canaã faz protesto e denúncia no Ministério Público

Kleysykennyson Carneiro - Jornal In Foco
Representantes do Sindicato dos Servidores Públicos de Canaã dos Carajás e funcionários da Secretaria de Obras fizeram na manhã desta quinta-feira, 08, um manifesto que teve início em frente ao prédio da Prefeitura Municipal e seguiu, em comboio, em direção ao Ministério Público. O protesto transcorreu de maneira pacífica e organizada. Um dos momentos mais marcantes da passeata foi quando o grupo passou em frente à praça que está sendo construída no Bairro Novo Horizonte e mostraram revolta diante da demora do governo em concluir as obras do local. “Essa praça atende a interesses pessoais e não coletivo” disseram os manifestantes.
 
Anaildo de Souza, presidente do Sindicato, falou das principais reivindicações do grupo: “Nossa reivindicação não é muito diferente das que a gente fez na Câmara dias atrás, nós estamos aqui reivindicando o direito da reposição salarial, o respeito pelo servidor público, ‘nenhum direito a menos’, que é o lema da nossa situação, pois a atual gestão está querendo corroer os nossos direitos trabalhistas e nós não vamos compactuar com isso, portanto viemos ao Ministério Público denunciar essas demandas que a atual gestão está querendo impor ao servidor público”. Anaildo falou ainda que considera que o poder executivo está fazendo pouco caso com o servidor municipal. “Nós gostaríamos de pedir ao executivo que reparasse esses danos causados ao funcionário por não repor a situação salarial.” O presidente disse também que a denúncia a ser feita era contra as “arbitrariedades da gestão atual”.
 
Segundo informações dos manifestantes, estão na pauta as seguintes denúncias: As férias que, segundo eles, não serão dadas a ninguém nos próximos 3 meses, exceto para os funcionários que têm 2 acumuladas, a incorreta remuneração das férias, pois eles afirmam que estão recebendo 1/3 do valor ao saírem e o restante não se tem previsão para pagamento, o reajuste salarial de acordo com o índice da inflação, a ociosidade de alguns servidores efetivos por falta de máquinas, pois, segundo eles, as empresas terceirizadas contratadas já têm os seus próprios funcionários e, ainda, os salários absurdos de alguns servidores.
 
A denúncia foi protocolada no Ministério por representantes da classe no final da manhã e o caso deve ser investigado. A Secretaria de Obras foi procurada, mas até o fechamento desta matéria não conseguimos contato com o secretário. O Jornal In Foco acompanhará o caso de perto e publicará quaisquer novidades a respeito da situação.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »