15/09/2022 às 13h16min - Atualizada em 15/09/2022 às 13h13min

Bando é preso por venda de lugar em fila da Caixa no Pará

O bando faturava alto com a venda de lugares na fila nos períodos de pagamento de auxílios federais. As prisões ocorreram em Breves, cidade do Marajó.

- jornalinfoco.com
dol

Entre tantos crimes desprezíveis está o de "roubar" das mãos dos mais necessitados. Os auxílios federais atualmente assistem milhões de famílias brasileiras. Mas, para recebê-los é necessário, muitas vezes, enfrentar filas nas agências bancárias e colocar em prática a paciência. Imagine agora, além de tudo isso ter que lidar com "espertões" e aproveitadores?!

A Polícia Civil do Pará deflagrou, na noite da última terça-feira (13), a operação denominada “Fila Marcada”, com o objetivo de reprimir crimes praticados por um grupo criminoso contra usuários da Caixa Econômica, no município de Breves, na região do Marajó. A ação foi coordenada pela Diretoria de Polícia do Interior (DPI), por meio da Superintendência Regional do Marajó Ocidental (8ª Risp).  

LEIA TAMBÉM:

Cobrança de "taxa de segurança" é alvo de ação da PM no Aurá

+ Marambaia: homem faz a mulher, o filho e motorista reféns

As investigações apontaram que indivíduos abordavam as vítimas durante o período de pagamento de auxílios federais. Eles chegavam a cobrar valores entre R$ 50,00 e R$ 100,00, para facilitar lugares privilegiados nas filas em frente à agência. 

Quem se recusava a pagar o valor pedido pelo grupo criminoso era coagido, ameaçado e até agredido, física e verbalmente. As pessoas eram até obrigadas a deixarem o local. Ou seja, quem já tinha tão pouco, era obrigado a pagar o tal valor 

Durante a operação policial, sete pessoas foram presas em flagrante, por envolvimento na prática criminosa de atentado contra a segurança de serviço de utilidade pública.

As equipes policiais também apreenderam aproximadamente R$ 5,5 mil, em espécie, além de aparelhos celulares utilizados por integrantes do grupo criminoso. A polícia tomou as medidas cabíveis e os envolvidos foram colocados à disposição da Justiça. O fato segue em apuração a fim de identificar o possível envolvimento de outras pessoas no esquema. 

 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »