10/02/2022 às 21h18min - Atualizada em 10/02/2022 às 21h18min

Parauapebas investe no ecoturismo

O município entra na rota do turismo nacional, graças às suas belezas naturais e investimentos em estrutura e receptivo aos visitantes. Cidade deve ganhar resorts e já tem um programa de investimentos

Dol
 

A cidade de Parauapebas, localizada no sudeste do Pará, tem potencial além do minério de ferro, de mudança da matriz econômica, transformando o turismo como gerador de empregos, renda e recursos no município. Suas belezas naturais, culturais, gastronômicas, observação de aves, Unidades de Conservação e uma reserva indígena com inúmeras espécies da flora e fauna amazônica, são alguns dos seus atrativos turísticos.

Um roteiro que oferece turismo de experiência e atrai visitantes do Brasil e do mundo, o município já possui cinco opções de passeios: Rota das Águas, Rota Carajás, Rota Indígena, Rota do Búfalo e um City Tour. As transformações e o desenvolvimento constante do trade turístico garantiram que Parauapebas subisse para a categoria B no Mapa do Turismo Brasileiro - programa estruturante que orienta a atuação do Ministério do Turismo e possibilita maior captação de recursos para o desenvolvimento de políticas públicas desempenhadas pelo MTur em estados e municípios brasileiros. 

Com o Programa Municipal de Investimentos (PMI) da Prefeitura, será realizada a reestruturação da Rota Carajás, que ganhará uma ponte suspensa em meio à floresta, percurso de arvorismo e uma das maiores tirolesas do mundo, que terá cerca de 2.600 metros de comprimento por 200 metros de altura. A velocidade poderá chegar a 100 km por hora. O local contará ainda com um Eco Resort, que será construído no Complexo de Cachoeira de Águas Claras – Trilha N1 na Floresta Nacional de Carajás, com estrutura totalmente sustentável. Um local ideal para os amantes do turismo de aventura, onde o solo ferruginoso dá vida a uma flor única no planeta: A Ipomea Cavalcanti, a Flor de Carajás.

 Divulgação

E para debater ainda mais os tipos de investimentos que podem ser realizados na área, o município recebeu a visita de uma equipe do Governo do Estado e do empresário Alain Baldacci, presidente do parque aquático Wet’n Wild, considerado um dos maiores do Brasil. No encontro, foram discutidas estratégias para a elaboração de políticas públicas voltadas ao segmento turístico em Parauapebas, sobretudo na área do turismo de aventura, criação de parques temáticos que ajudem a atrair mais turistas e a movimentar a economia local.

“Queremos construir o grande parque aquático da Amazônia, em Parauapebas. Estamos buscando estratégias para impulsionar o desenvolvimento econômico da nossa região através do turismo. Agradeço ao Alain Baldacci pela sua vinda e por enxergar o potencial turístico do nosso município” destaca o prefeito Darci Lermen. Com o PMI também serão construídos o novo mercado municipal e a nova rodoviária, o Centro Tecnológico de Gemas e Joias, o Complexo Multicultural, o Museu, um sofisticado Teatro Municipal e uma ampla arena esportiva.

Os amantes da natureza podem escolher a Rota Carajás onde visitarão a Floresta Nacional de Carajás que dispõe de cavernas ferríferas, trilhas, mirantes, savana, cachoeiras e lagoas de águas cristalinas, além do Parque Zoobotânico de Carajás.

 Divulgação

AVES

Cerca de 600 espécies de aves classificam o município com a maior quantidade de espécies do mundo e coloca a Floresta Nacional de Carajás no ranking dos principais roteiros para prática da atividade de observação de pássaros. Parauapebas já é uma das seis principais cidades de visitação para o turismo dentro do polo Araguaia/Tocantins - o maior polo turístico em termos de extensão territorial e diversidade natural e cultural - formado por municípios das regiões Araguaia, Carajás, Tocantins e Lago de Tucuruí.

COMO CONHECER

Quem deseja conhecer Parauapebas pode optar por via aérea, ferroviária ou rodoviária. Voos regulares partem de várias cidades do país com destino aos aeroportos de Carajás ou Marabá, a 17 km e 170 km de Parauapebas, respectivamente. A viagem de trem percorre várias cidades do Pará e Maranhão no percurso São Luís/Parauapebas. Além das rodovias que dão acesso ao município; de Belém à Parauapebas são cerca de 7 horas de viagem. O receptivo é feito por cooperativa e agências de viagem.

Quer saber mais?

Então ouça no link abaixo a reportagem especial "Não vai ficar buraco: Parauapebas se prepara para a próxima atividade econômica" produção em parceria entre a Rádio Clube e o DOL

Nela é possível entender como a hoje cidade dos minérios se prepara para uma próxima atividade econômica, o turismo. Afinal, apesar dos impactos que a mineração traz, uma gestão eficiente pode transformar o que seria apenas impacto em oportunidade.

NÃO VAI FICAR BURACO: PARAUAPEBAS SE PREPARA PARA A PRÓXIMA ATIVIDADE ECONÔMICA


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »