13/11/2017 às 22h11min - Atualizada em 13/11/2017 às 22h11min

Evento de MMA realizado em Canaã é duramente criticado nas redes sociais

Evento de luta em estilo livre, realizado no sábado, foi duramente criticado pela população devido à má organização

Kleysykennyson Carneiro - Jornal In Foco
Canaã recebeu no último sábado (11) o tão aguardado evento de MMA. O Ultimate Fight Canaã aconteceu pela primeira vez na cidade e reuniu vários lutadores locais e de cidades vizinhas, como Tucumã, Xinguara e Marabá. Todos participaram da disputa na busca do tão sonhado cinturão. Para muitos, a competição funcionaria como uma forma de alavancar a carreira e como uma chance de começar a vencer no esporte. No entanto, a competição, tão comentada durante toda a semana na cidade, se tornou um verdadeiro show de horrores, de acordo com o relato de algumas pessoas que pagaram ingresso para ver a disputa.
 
Segundo o relato da expectadora Daniela Veloso, o MMA de Canaã, que estava marcado para ter início às 20 horas, só começou por volta das 23. Isso fez muita gente desistir de esperar, perder as lutas e abrir mão do valor pago pelos ingressos. Quem ficou no local, precisou ter paciência e esperar até as 03 da manhã para a conclusão do evento. A demora para o início e para o término do UFC acabou gerando muita revolta e um nítido desconforto entre os lutadores: “Vários atletas se sentiram desvalorizados, muitos vieram pelo amor ao esporte, só com a confiança de receber o básico para participar da luta, mas ficaram em praça pública, no sol quente, sem mantimentos e atenção da organização” afirmou Daniela.
 
As críticas ao UFC continuaram firmes: “Não havia ambulância no local ou qualquer profissional da área médica para dar apoio em algum atendimento emergencial. Isso, para mim, é o cúmulo do descaso. Teve um atleta que se machucou feio e não tinha atendimento lá, mas graças a Deus está tudo bem com ele.” De acordo com o relato de Daniela, no local não havia sequer caneta e papel para as anotações básicas da luta. Além disso, não havia opções para a compra de comida no local, o que prejudicou grande parte das pessoas que viajaram para prestigiar o MMA.
 
“Para mim, o compromisso do organizador desse evento é péssimo. Foi um completo desrespeito ao público e aos atletas. Acho que se devia trabalhar de forma transparente e respeitosa, ainda mais quando se fala em artes marciais, já que esse esporte envolve disciplina e respeito ao próximo. Não podemos aceitar em nossa cidade um evento tão amador e irresponsável como esse!” desabafou Daniela. A expectadora relatou ainda que os atletas tiveram o auxílio de Gleison, do CT Canaã, de Rogério Brilhante e de Eleutério. Daniela explicou que Gleison ofereceu comida, banho, local para descansar e ainda o dinheiro para que eles pudessem voltar para casa, se não fosse por essa ajuda, os lutadores teriam ficado em maus lençóis.
 
A organização do evento foi procurada pelo Jornal In Foco, mas até o fechamento da matéria ninguém se manifestou.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »