11/11/2017 às 00h00min - Atualizada em 11/11/2017 às 00h00min

Ciências, tecnologia e inclusão: Feira de Ciências do CMEJA traz apresentações inovadoras e resgate histórico da tecnologia

Comunidade escolar se reúne e abre as portas ao público para debate histórico sobre inovações tecnológicas e experimentos científicos

Kleysykennyson Carneiro - Jornal In Foco
Fotos: Kleysykennyson Carneiro
Aconteceu na tarde desta sexta-feira (10) a tão aguarda Feira de Ciências da escola CMEJA José de Deus. Durante toda a semana, a rede municipal de educação se dedicou às apresentações voltadas ao tema “Ciência, tecnologia e inclusão”. Na CMEJA, as turmas se dividiram e trouxeram ao público surpreendentes experimentos científicos, apresentações que contavam um pouco da história da televisão e dos videogames, além de mostras que debatiam a influência da música em nosso cotidiano.
 
A professora Simone Ribeiro ficou responsável pelas turmas do 6º ano B e C com o subtema Biblioteca Digital. Ela explicou, em entrevista, o trabalho apresentado: “Dentro deste assunto, decidimos falar sobre a televisão. Ou seja, os televisores pelo tempo. Nós buscamos desde o princípio até a atualidade, o primeiro inventor, as primeiras transmissões. Em 1927, a televisão ainda era um rádio, a resolução era pequena e hoje nós já temos a televisão 4K, que já tem a resolução bem avançado.” A turma da qual Simone era responsável construiu um túnel que simbolizou o tempo e ilustrava, de maneira didática, o avanço tecnológico dos televisores conforme a passagem dos anos.
 



O professor de ciências, Antônio José, responsável pelo 9º ano, trouxe diversos experimentos científicos ao público: “A nossa turma trouxe alguns experimentos para mostrar eles na prática. Entre outras experiências, trouxemos a do papel sobre o copo de água, que mesmo virado de cabeça pra baixo, não derrama por conta da pressão atmosférica. Os meninos também fizeram a maisena dissolvida em água para simular a areia movediça, além de muitos outros.” De acordo com o professor, toda a vivência com a prática científica atrai ainda mais o interesse dos alunos para a disciplina.


 
Camila Sousa, aluna do 9º ano, explicou a proposta da sua turma: “O nosso tema é ‘Biblioteca, dicionário digital’. Isso é uma coisa comum entre nós, estudantes, pois todo mundo tem um celular hoje em dia e nós fazemos as pesquisas por lá. Hoje em dia, não vamos mais à biblioteca, pois temos tudo na palma da mão. Trouxemos aqui vários aplicativos, pois de repente a pessoa não se interessa pelo livro, mas tem aí o livro digital que pode ser lido.” A turma fez a exibição de modernos aplicativos para computador e traçou um paralelo entre as bibliotecas do passado com a modernidade das pesquisas escolares via celular.


 
Já Larissa Rodrigues trouxe, junto com a sua turma, a importância da tecnologia para o aprendizado da língua inglesa. A sala se tornou uma verdadeira boate e a estudante explicou a analogia feita pela turma: “A gente usou a luz negra, a tinta neon, os CD’s para reportar a ideia dos anos 80, para relembrar as baladas... As músicas tocadas nessas festas utilizam a língua inglesa e nós acreditamos que é fundamental, para quem quer crescer na vida, o aprendizado de um outro idioma. Para isso, a tecnologia e a música podem ajudar bastante.”


 
Por sua vez, alguns alunos, também do 9º ano, trouxeram a evolução dos vídeo games e observaram, em suas pesquisas, que o domínio da língua inglesa é maior entre os jovens adeptos dos jogos virtuais. A Feira se estendeu por toda a tarde e contou com um excelente público. O evento foi um completo sucesso e os jovens saíram dele com uma base de aprendizado bem maior do que tinham antes.


 
 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »