15/11/2021 às 10h30min - Atualizada em 15/11/2021 às 10h30min

Proclamação da República: por que foi tão importante?

Marechal Deodoro da Fonseca assumiu o cargo de primeiro presidente da República, durante um governo provisório

Dol
 

Neste 15 de novembro, o Brasil celebra 132 anos da Proclamação da República. A data que marca o fim do Império no país destacou ainda a figura de Marechal Deodoro da Fonseca, que foi responsável por efetivar a proclamação e assumir o cargo de primeiro presidente da República brasileira, durante um governo provisório (1889-1891). Atualmente, a data ainda propõe uma certa reflexão sobre tudo que o país enfrenta em seu contexto político e social.

“Naquele ano, não tivemos nenhum movimento de revolução popular ou guerra no país. O que tínhamos eram os militares e também muitos latifundiários insatisfeitos com a monarquia”, diz o historiador Diego Maia.

Uma notícia falsa também teria acelerado o processo da chegada do modelo republicano ao país. “Muitos esperavam que a Proclamação da República viesse a acontecer após a morte natural de Dom Pedro II. Porém, uma notícia de que o imperador pretendia prender Deodoro da Fonseca e Benjamin Constant se espalhou na época com a intenção de colocar os militares contra o imperador e a favor do movimento republicano. Porém, era tudo mentira. Nem Deodoro, nem Benjamin haviam sido detidos”, lembra.

Proclamação da República: veja o que abre e fecha no feriado

Bolsonaro diz que mata da Amazônia "não pega fogo"

No segundo dia após a cerimônia de Proclamação da República, a família real foi expulsa do país e exilada na Europa. “Vale pontuar que essa proclamação vende uma história errada do que aconteceria de fato. Que a população teria participação mais ativa na sociedade, o que não ocorreu. Após o golpe, as pessoas passaram a ver a proclamação de forma bestializada e desigual. Um dos exemplos, é que na época da monarquia, o ensino nas escolas públicas era tido como o melhor, diferente do que se vê hoje”, destacou.

A transição do modelo de governo também gerou impacto no Estado do Pará, que realizou sua cerimônia de adesão à Proclamação da República no dia 16 de novembro do mesmo ano. “O novo modelo de governo precisava se legitimar aqui também. Uma das formas de mostrar essa legitimação foi a mudança de nomes de ruas e espaços para que eles fizessem referência ao momento, como é o caso da rua 16 de Novembro e da própria Praça da República, que antes era conhecida como a Praça da Pólvora”, conta o historiador.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »