22/10/2021 às 19h04min - Atualizada em 22/10/2021 às 19h04min

Mandato cassado: prefeito de Oriximiná diz que vai recorrer

O mandato do gestor municipal foi cassado por unanimidade na tarde desta sexta-feira (22) na Câmara Municipal de Oriximiná

Dol
 

O prefeito do município de Oriximiná, no oeste paraense, William Fonseca (PRTB), teve seu mandato cassado pela Câmara Municipal na tarde desta sexta-feira (22). O relatório de autoria do vereador Mauro Wanzeler (MDB), que pediu a cassação imediata, teve dez votos favoráveis, dois votos contrários e três abstenções.

Em agosto desse ano, o pedido de cassação foi protocolado na Câmara Municipal pelo ex-vereador Zequinha Calderaro. O documento apontou crimes de responsabilidade e prática de infração político-administrativa que teriam sido supostamente cometidos pelo prefeito, entre elas, a contratação de pessoal para beneficiar aliados políticos do gestor municipal.

Na tarde de hoje, o prefeito William Fonseca esteve na sede da Câmara Municipal de Oriximiná para acompanhar de perto a sessão e teve oportunidade de usar a tribuna para apresentar sua defesa contra as acusações. Em seguida, a Câmara empossou o vice-prefeito Argemiro Diniz Filho (PSC) para o cargo de mandatário da cidade. Os vereadores também determinaram, na sessão de hoje, a perda dos direitos políticos por 8 anos de William Fonseca.

Após o anúncio da cassação de seu mandado, Fonseca seguiu para a praça em frente à Câmara, onde seus apoiadores o aguardavam, e anunciou que vai recorrer da decisão.

"Nós vamos recorrer. Nós confiamos em Deus, nós confiamos na Justiça. Toda a população de Oriximiná sabe porque isso (cassação) aconteceu. Hoje é o dia mais vergonhoso da história política dessa cidade. É o dia mais triste para o povo de Oriximiná. Um prefeito eleito pelo povo, cujo único erro foi gerar emprego, gerar renda, trabalhar pelo povo, fazer obras", declarou Fonseca.

O resultado da votação ainda será comunicado oficialmente pela Câmara Municipal de Oriximiná à Justiça Eleitoral para as providências cabíveis.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »