19/10/2017 às 01h26min - Atualizada em 19/10/2017 às 01h26min

Críticas ao governo e indicações ao executivo marcam 32ª Sessão Ordinária

Vereadores do PDT fazem duras críticas ao poder executivo e avisam “Vamos ser profissionais agora”

Kleysykennyson Carneiro - Jornal In Foco
Fotos: Atila Penha
Na noite desta quarta-feira (18) aconteceu a 32ª Sessão Ordinária do Legislativo em 2017. Pela primeira vez em algumas semanas, todos os vereadores estiveram presentes no pleito. Em pauta, duas indicações ao executivo no Pequeno Expediente e o debate de algumas polêmicas ocorridas na cidade durante a semana. A sessão teve início de casa vazia, mas as pessoas foram chegando aos poucos e um bom público viu de perto os debates entre os legisladores.
 
Em sua fala durante o Grande Expediente, a vereadora Vânia Mascarenhas (PDT) elogiou o Projeto Criança Feliz, organizado pelo seu partido, e explicou a importância dele para as causas sociais do município: “O projeto foi uma benção. Gostaria de parabenizar todos os participantes, voluntários, que nos ajudaram a levar alegria para essas crianças.” A legisladora também usou a tribuna para cobrar uma melhor comunicação da saúde com a população. Em relação ao protesto ocorrido no Posto de Saúde do Novo Horizonte, Vânia falou: “Tudo o que aconteceu ontem foi falta de comunicação. Precisamos de um diálogo maior do governo com a população. O dinheiro não é do prefeito, nem do secretário, é do povo. Quando o governo vai mal, quem paga é o povo!”


 
Wilson Leite (PDT) também não economizou nas críticas ao governo e comentou uma fala do vice-prefeito Alexandre Pereira. De acordo com Wilson, Alexandre teria dito que os vereadores do PDT estão sendo “amadores” em suas funções. O pedetista convocou a bancada do seu partido para responder ao vice: “Vamos ser profissionais agora. E ser profissional é ir ao Ministério Público, saber as horas das máquinas na Secretaria de Obras...” Ainda durante sua fala, o vereador lamentou mais uma vez o orçamento da agricultura no município e provocou o jornalista Carlos Magno, da Rádio Correio: “O prefeito não quer matar a fome, ele quer matar o povo de fome. Diga lá, Carlos Magno, duvido que você fale isso no seu programa.” Wilson também criticou a praça do Novo Horizonte e chamou os radares da Secretaria Municipal de Trânsito e Transporte (SETTRAN) de “máquinas caça níqueis”: “Foram 700 mil gastos para essas máquinas, esse valor poderia ser gasto para terminar a praça daquele bairro. A obra está prevista para começar dia 28. Se não começar, no dia 29 eu pego meu caminhão e vamos tirar aquele tapume de lá. Esse governo pensa que a cidade é dele, mas não é.”


 
Gesiel Ribeiro (PHS) usou o tempo de tribuna para falar sobre a abertura dos Jogos Estudantis: “É muito bom ver essa garotada em massa focada no esporte. Isso é muito gratificante.” Já Dionísio Coutinho (PSC) falou sobre a situação do bairro Novo Horizonte e disse que, como morador, também se solidariza com a situação de todos.




 
Também durante a sessão, duas indicações foram aprovadas por unanimidade. Uma, de número 082/2017 e autoria do presidente Junior Garra (PR), pede que o executivo construa bosques nos bairros Vale da Benção, Jardim das Palmeiras, Jardim Primavera e Flor de Liz.


 
A outra, de número 077/2017, pede ao executivo que construa a ciclovia ao longo da avenida Agenor Paiva, que dá acesso ao Residencial Canaã.
 
A próxima sessão está marcada para a quarta-feira (25) às 18 horas.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »