15/10/2017 às 23h32min - Atualizada em 16/10/2017 às 23h32min

Presidente da Associação dos Moveleiros de Canaã envia nota à imprensa e fala sobre a importância da madeira de rejeito para a economia local

Na ocasião, o presidente discordou da fala de um parlamentar feita na última sessão do legislativo, que acabou chamando o rejeito de “lixo”

- Jornal In Foco
Gildenor Oliveira, presidente da Associação dos Moveleiros de Canaã dos Carajás, enviou uma nota à imprensa neste sábado falando sobre a importância da doação de madeira de rejeito feita pela Vale. Na ocasião, o presidente discordou da fala de um parlamentar na última sessão que acabou chamando o rejeito de “lixo”.


 
De acordo com Gildenor, mais de 70% da madeira poderá ser aproveitada e gerará vários empregos diretos na fabricação dos móveis.


 
Confira a nota na íntegra.
 
Na última sessão da câmara houve várias críticas relacionadas às madeiras de rejeito que a Vale está doando para os moveleiros de Canaã. Em uma fala, chegaram a dizer que o rejeito é lixo. Queremos deixar bem claro que esse posicionamento não reflete a opinião dos moveleiros. Os mesmos estão felicíssimos com a conquista e que o material é de reuso, mas tem um aproveitamento de 70 a 90%.
 
Nesse período de seleção cerca de 30 empregos temporários foram gerados, entre marceneiros e artesãos. Depois, na fabricação, deverá gerar em torno de 80 diretos. Esse recurso gerado no primeiro momento irá ajudar os microempreendedores a se reerguer até conseguir legalizar a documentação da tão sonhada serraria legalizada. Esta será implantada no distrito industrial, em uma área cedida pela Vale e Prefeitura Municipal, podendo assim, tão logo, estar serrando madeira legal.
 
Agradecemos a Vale e a Secretaria de Desenvolvimento pelo apoio que tem dado para a classe moveleira. Em breve estaremos com excelentes produtos à disposição.
 
Gildenor Oliveira – Presidente da Associação dos Moveleiros de Canaã dos Carajás
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »