13/10/2017 às 02h08min - Atualizada em 13/10/2017 às 02h08min

Atlético 2 e Novo Brasil farão a finalíssima da Taça Cidade de Futsal Feminino

Em duas semifinais emocionantes, times se classificam e prometem jogão na final da primeira Taça Cidade de Futsal Feminino

Kleysykennyson Carneiro - Jornal In Foco
Fotos: Ricardo Mesquita
Quem compareceu ao Ginásio Antônio Chorão na noite desta quinta-feira (12) viu dois verdadeiros espetáculos do futsal feminino canaense. As meninas vieram à quadra do ginásio determinadas a chegar na final e a torcida compareceu em peso para apoiar os seus times do coração. A Taça Cidade de Futsal Feminino acontece pela primeira vez em Canaã e movimentou a cidade desde que teve início. A competição é promovida pela Fundação de Cultura Esporte e Lazer (FUNCEL) e reuniu vários times da cidade. No quadrangular final, apenas o Atlético 1, Atlético 2, UFC e Novo Brasil sobreviveram à severidade da competição.
 
Escolher para quem torcer não é nada fácil. Cada time possuía uma história de superação e uma motivação diferente para chegar à final. Mas a pior situação de todas foi a de Oziel Brito. O treinador conseguiu reunir vários talentos em uma só equipe e precisou dividir as meninas em dois times para que todo mundo pudesse jogar a competição de maneira justa. Foi aí que surgiu o Atlético 1 e o Atlético 2. As duas equipes se destacaram e ganharam força no decorrer da competição. E não é que o destino e o chaveamento do campeonato fizeram os dois times se enfrentarem já na semifinal?


Atlético 2


Atlético 1


 
De coração partido, Oziel falou sobre a situação: “Eu não estou torcendo para ninguém, essa é a verdade. Quando sair o gol eu nem vou comemorar... É difícil... Comemorar a favor de um é comemorar contra o outro. Os dois times são meus, é complicado. Quem vencer eu estou apoiando e todo mundo vai apoiar também.”
 
Deixando a amizade para fora do campo, o Atlético 1 não tomou conhecimento do xará e abriu o placar aos três minutos com a talentosa Annykelly, que voltava de contusão. O adversário sentiu o golpe por alguns minutos e ficou abatido em quadra, mas com o passar do tempo, o volume de jogo foi aumentando e aos 11 minutos, Bianca deixou tudo igual.


 
Depois de empatar, o Atlético 2, de uniforme rosa, tomou gosto pela rede e promoveu uma enxurrada de gols contra o adversário. Bianca novamente e Tailane fizeram 3 a 1 ainda no primeiro tempo. No segundo, Wanny, duas vezes, Juliana e Samara fecharam a tampa do caixão do adversário, sem dó nem piedade. Yasmim e Elienai ainda deixaram a sua marca, mas não foi o bastante. Perdeu as contas? A gente atualiza! Placar final: Atlético (2) 7 x 3 Atlético (1). Vaga garantida na final e um show à parte.


 
A melhor em campo, Wanny Oliveira, falou sobre o resultado: “A partida foi quente, desde o começo entramos com foco para ganhar e graças a Deus conseguimos chegar à final e agora é tentar ser campeãs, foi por isso que viemos até aqui. Chegar lá com dois gols é muito bom.”


 
Apesar de cabisbaixas pela derrota, as atletas do Atlético 1 deram total apoio às amigas que conseguiram o resultado positivo. Uma prova de que o esporte une também as pessoas, mesmo quando o resultado não é o esperado.
 
Mas a reportagem ainda não acabou, caro leitor do Jornal In Foco!
 
Lembra das outras duas equipes? UFC e Novo Brasil fizeram uma partida para ficar na memória do torcedor canaense que compareceu ao Antônio Chorão. Desde cedo, já havíamos sido avisados pelo mesário Fabiano que a partida entre as duas equipes seria duríssima. E ele estava certo!


UFC


Novo Brasil

 
As duas equipes vieram à quadra de maneira tranquila. Ninguém suspeitava que a partida ganharia ares dramáticos no seu decorrer. Quando o juiz autorizou que a bola rolasse, o que se viu foi um festival de bolas afastadas pela defesa do UFC, muitas trocas de passe em rodízio e uma boa atuação do setor defensivo do Novo Brasil.


 
Em quadra, uma das grandes jogadoras do futsal local: Alrivânia Castro, a Pitty, é um dos símbolos da luta em prol do esporte no município, defende o Novo Brasil e trabalha pelo crescimento da modalidade já há algum tempo em Canaã. Sempre de cabeça erguida e fazendo uma partida taticamente impecável, ela foi um dos grandes destaques do primeiro tempo.

 
Mas nem a boa atuação de Pitty conseguiu parar o meteoro Jucileia, do UFC, aos 15 minutos de jogo. A pivô mandou uma bomba para o fundo do gol defendido por Juscelia e a goleira não conseguiu impedir a adversária de abrir o marcador.


 
Em um primeiro tempo equilibrado, o resultado premiou o UFC, time que aproveitou a chance que teve.
 
Para o segundo tempo, o Novo Brasil se lançou ao ataque. O que se viu foi uma verdadeira blitz para cima da goleira Bruna, que resistiu bem aos ataques. Mais uma vez, a defesa do UFC fez um bom trabalho e o destaque defensivo foi para a fixa Vanessa.
 
Mas não há boa atuação que resista a um ataque bem trabalhado. Após tabela com Pitty, Tamires saiu cara a cara com a goleira Bruna e não perdoou. O ginásio veio a baixo com o gol de empate e a torcida gritou em uníssono o nome do Novo Brasil. Com o gol aos 18 minutos, só restou às duas equipes a administração do placar. A partida foi para os pênaltis e o ginásio se calou para verdadeiros momentos de tensão.


Gol de Tamires
 
Pelo UFC, a treinadora Daiane Landim escolheu Erida, Tania Cardoso e Vanessa para as cobranças, Do outro lado, a técnica Kellen Carla escalou Tamires, Pitty e Juscelia como cobradoras.
 
Vanessa cobrou o primeiro pênalti, mas a goleira Juscelia, em noite inspirada, fez a defesa. Na sequência, Tamires, autora do gol do empate, foi para a bola e não perdoou.


Vanessa bate, mas perde


Tamires marca.

 
Logo depois, foi a vez de Erida cobrar e mandar para fora a bola. Sobrou para Pitty, a estrela da companhia, decidir a vaga na final. Com muita consciência, a camisa 99 cobrou a penalidade e marcou. A bola ainda beliscou caprichosamente a trave direita e morreu no fundo do barbante. 2 a 0 Novo Brasil e vaga garantida na final.


Erida chuta pra fora


Pitty fecha a conta.

 
A torcida abraçou as jogadoras e todos comemoram juntos a sofrida classificação. Pitty falou sobre o momento: “Foi um jogo bem complicado, mas o Novo Brasil acredita que o jogo só acaba quando o último apito é dado. A vitória é nossa, pai! Vamos para a final!”


 
Após a defesa do pênalti, Juscelia falou sobre o momento: “Eu estou muito agradecida à minha equipe e a Deus. Apesar de o povo falar que eu não agarro nada, essa é a prova. Estou agradecida e é nós!” A goleira saiu aos berros da entrevista em comemoração.


 
E a heroína da noite, Tamires, que fez o gol de empate, e ainda converteu o pênalti, também falou: “Eu sou de Tucumã e vim somar com a equipe de Canaã. Eu estou muito feliz pela equipe ter me chamado para participar dessa competição e eu tive o prazer de fazer o gol e ainda chegar à final nos pênaltis. É muita felicidade”


 
Agora, Atlético 2 e Novo Brasil decidirão a Taça Cidade de Futsal. Os dois times mereceram as suas respectivas vitórias e a vaga na final. Com estilos diferentes de jogo, o que se pode esperar é mais uma bela e disputada partida. As apostas estão abertas, mas depois de ter visto os dois jogos de perto e a qualidade das duas equipes, eu prefiro só assistir e torcer para que o melhor, de fato, vença.
 
Agora sim, leitor, a matéria acabou. Valeu a pena ler tudo, não é?
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »