02/08/2021 às 09h38min - Atualizada em 02/08/2021 às 09h38min

Praias lotaram na despedida do verão

Em Mosqueiro e Outeiro, o mesmo cenário de areias lotadas e banhistas que queriam aproveitar até o último momento das férias de julho. Na capital, final de semana também foi de passear e relaxar

Agência Brasil
 

O último final de semana de férias foi de sol intenso na Ilha do Mosqueiro. Muita gente aproveitou a folga nas praias, que ficaram lotadas. O espaço em barracas na areia ou onde houvesse um pouco de sombra foi bastante disputado pelos veranistas. Muitos optaram por não usar máscara de proteção contra o coronavírus, apesar das recomendações para que todos os cuidados fossem mantidos.

O casal Lúcia Brabo, de 65 anos, e Manoel Barreto, 67 anos, alugou um apartamento na ilha para passar 15 dias com o filho e a nora. “Já é uma tradição da nossa família vir passar as férias em Mosqueiro. Gostamos muito daqui. No sábado (31) estava agitado, mas hoje (ontem) está um pouco mais tranquilo, com menos pessoas”, contou a comerciante que estava ao lado do marido na Praia do Farol.

O lanterneiro Silvio Santos escolheu a ilha para comemorar seu aniversário de 48 anos. “Vim com alguns familiares, amigos e vizinhos em um piquenique para celebrar a vida aqui. Está muito bom “, disse. Ele disse que chegou por volta das 8h30 da manhã na praia, quando ainda havia poucas pessoas. “Agora perto da hora do almoço já está mais agitado, mas logo cedo estava muito bom, como bastante espaço na areia, ideal para brincar com crianças”, completou ele.

O motorista José Almeida, de 67 anos, foi com toda família para a ilha passar uma semana. Ontem, estavam todos na Praia do Farol aproveitando os últimos momentos das férias. “Temos um terreno aqui e costumamos vir para cá sempre. Este ano, tem bastante gente por aqui. No sábado, não havia nem mesa disponível. Estava tudo muito disputado, porque as pessoas estavam querendo se divertir um pouco, estavam sentindo falta desse ar livre e de um pouco de lazer”, ressaltou.

A reclamação do motorista ficou por conta dos preços praticados pelos comerciantes na praia. “Está tudo muito caro, até por conta desse contexto de pandemia, quando muitas pessoas perderam o emprego, acho que isso deveria ter sido levado em conta. Os preços estão bem elevados “, ressaltou.

Já para os comerciantes, o mês de julho foi considerado bom para as vendas, apesar de ainda estar abaixo da média comum para as vendas do mês. “Já cheguei a vender de 30 a 50 refeições em um único dia na praia. Nessas férias, as vendas foram boas para nós que vínhamos de um período bem ruim desde o início da pandemia, mas ainda não dá para comparar com o aquilo que comercializávamos antes da pandemia. Posso dizer que ainda estamos nos recuperando”, destacou a comerciante Maria da Conceição Tavares,.

Movimento intenso em Outeiro e Icoaraci

O movimento foi intenso também nos distritos de Icoaraci e Outeiro. Neste domingo (01), a Praia Grande registrou diversos grupos de familiares e amigos aproveitando o dia ensolarado na faixa de areia, tomando banho de mar ou nos bares. De acordo com a presidente da associação dos barraqueiros de Outeiro, Elisângela Santos, o fim de semana teve um saldo positivo para as vendas. “Compensou a metade do prejuízo que tivemos nos piores meses da pandemia no novo coronavírus. Acredito que as vendas cresceram pelo menos 80% somente neste fim de semana”, contou animada, já esperançosa para a segunda-feira (02). “É um dos dias mais movimentados na ilha, então, acredito que também vai ser muito bom”.

Em Outeiro, movimentação também foi intensa. Comerciantes comemoraram vendas

Em Outeiro, movimentação também foi intensa. Comerciantes comemoraram vendas

 Em Outeiro, movimentação também foi intensa. Comerciantes comemoraram vendas Irene Almeida

Embora ainda em um cenário de pandemia, nos bares e restaurantes o uso de máscaras ou de álcool em gel era descumprido, assim como o distanciamento social, com uma grande quantidade de veranistas aglomerados em mesas. Em vários bares, cantores e bandas realizavam shows, ocasionando uma demanda maior de pessoas. Agentes do Corpo de Bombeiros Militar, da Polícia Militar e da Guarda Municipal de Belém (GMB) realizavam a ronda no local.

Já na orla do distrito de Icoaraci, o movimento também era acentuado, porém, com menos aglomeração. A professora de educação física, Joyce Ignes, 25 anos, aproveitou a tarde para passear com a família, longe da multidão das praias. “Viemos passear e aproveitar o último fim de semana das férias, tomar uma água de coco e curtir o sol. Já estamos com 50% da nossa família vacinada e isso nos deixa mais tranquilos”, contou ela, que se deslocou com a família, do bairro do Telégrafo, para aproveitara orla do distrito.

Icoaraci lotou tanto na orla quanto na praia do Cruzeiro

Icoaraci lotou tanto na orla quanto na praia do Cruzeiro

 Icoaraci lotou tanto na orla quanto na praia do Cruzeiro Irene Almeida

A Praia do Cruzeiro registrou um grande movimento de banhistas, principalmente tomando banho no mar, embora considerada imprópria para o uso, de acordo com um teste de balneabilidade realizado pela Secretaria Municipal de Saúde (Sesma). Nos bares, o contexto era semelhante ao da Praia Grande, com aglomeração e descumprimento das medidas de proteção contra o vírus da covid-19.

Quem ficou na capital aproveitou pontos turísticos

Quem não viajou, aproveitou para curtir o almoço no Ver-o-Peso

Quem não viajou, aproveitou para curtir o almoço no Ver-o-Peso

 Quem não viajou, aproveitou para curtir o almoço no Ver-o-Peso Wagner Santana

Quem ficou na cidade aproveitou os principais pontos turísticos da capital no sábado (31). A feira livre do Ver-O-Peso, entre os trabalhadores e os frequentadores do espaço, foi um dos locais que teve grande agitação. O horário mais concorrido foi o do almoço. “O Ver-O-Peso é sempre o local que escolho pra vir, seja nas férias ou não. Sentir esse calor humano, é melhor do que nas praias, pelo menos para mim”, disse Luiz Nunes, 38 anos, feirante.

A Estação das Docas também reuniu as pessoas desde a hora do almoço. No local, o céu ensolarado contemplava os frequentadores que aproveitavam para tirar fotos, ver a vista do rio regadas à bebidas e comida. “A Estação é o principal ponto turístico de Belém. Em qualquer época do ano temos esse cenário, ideal para curtir”, concluiu Ranieri Lemos, 44 anos, engenheiro.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »