19/05/2017 às 06h59min - Atualizada em 19/05/2017 às 06h59min

Crime cibernético: uma preocupação constante

Karla Rocha e Daniele Menezes - Jornal In Foco
Reprodução
Ter as contas invadidas e informações pessoais divulgadas sem autorização era uma preocupação constante apenas para celebridades, mas esse tipo de crime está cada vez mais comum e qualquer pessoa, famosa ou não, pode ser vítima.

Para combater esse delito, foi criada a Lei nº 12.737 de 2012 e intitulada de lei "Carolina Dieckmann" leva o nome da atriz que teve a conta de e-mail invadida e 36 fotos publicadas na web. Carolina recebeu ameaças por telefone, os hackers pediram R$ 10 mil para que as imagens não fossem publicadas, ela se negou a pagar a quantia e prestou queixa na polícia, o caso foi investigado e os responsáveis pelo crime foram detidos.

A lei sancionada pela ex-presidente da República Dilma Rousseff, torna crime a invasão de celulares, redes e sites. Para quem invadir dispositivos informáticos com a intensão de adulterar, destruir dados bancários e pessoais ou informações sem autorização a pena vai de três meses a um ano e multa, e pode ser aumentada dependendo do agravante.

O número de vítimas de "nude selfie" e "sexting" mais que dobrou nos últimos dois anos no país. Os dados são de um levantamento inédito feito pela ONG Safernet Brasil, entidade que monitora crimes e violações dos direitos humanos na internet, em parceria com a Polícia Federal (PF) e o Ministério Público (MP). Um estudo realizado no ultimo ano mostra que a Safenet atendeu mais de 200 casos de pessoas que tiveram a intimidade exposta indevidamente na web. Foram contabilizados como vítimas aquelas que procuraram o serviço gratuito Helpline ou Canal de ajuda da ONG e denunciaram o uso e a veiculação indevida e sem autorização de fotografias, vídeos e conversas com conteúdo erótico ou pornográfico.

Vítimas
     A pesquisa de atendimentos feita pela Safernet revela que garotas de 13 a 15 anos representam a maioria das vítimas de "nude selfie" e "sexting" que buscam ajuda psicológica. A maior preocupação relacionada a essa prática de compartilhamento é que, uma vez on-line, perde-se completamente o controle da foto ou do vídeo íntimo publicado. "Queremos ajudar os adolescentes e jovens a fazer boas escolhas na rede, sabendo administrar suas publicações e compartilhamentos para evitar arrependimentos e situações de perigo quando pessoas mal intencionadas se aproveitam dessas imagens", destaca o presidente da Safernet e coordenador da Central Nacional de Denúncias de Crimes Cibernéticos, Thiago Tavares.

Se o roubo causar prejuízo financeiro, por exemplo, o acusado pode chegar a pegar um ano e quatro meses de prisão. Roubar e-mail ou controlar computadores, de três meses a dois anos e multa. Já a divulgação e comercialização do conteúdo adquirido ilicitamente de dispositivo informático a pena é de oito meses a três anos e quatro meses.
Para tentar evitar ser a próxima vítima existe algumas precauções que podem ser tomadas, como evitar usar Wi-Fi de lugares públicos, não clicar em links desconhecidos ou programas maliciosos. Na dúvida de não saber do que se trata, coloque a seta do mouse em cima do link que recebeu e o nome do endereço, aparecerá.
Nunca poste ou envie fotos íntimas. Publicar nome do condomínio ou rua onde mora também pode ser bastante perigo, esse tipo de postagem é um prato cheio para gente mal intencionada.

Outros Crimes Cibernéticos

Disponibilizamos dicas para que todos possam prestar atenção aos detalhes que não precisem ser mais vítimas passivas no processo de atuação dos cibercriminosos: 

1 – Só utilize redes Wi-Fi confiáveis: Lembre-se de que as redes Wi-Fi públicas, sejam abertas ou protegidas por senha, podem estar sendo interceptadas e, dessa forma, capturando informações privadas do computador. Por isso, é recomendável realizar transações online através de uma rede própria ou de alguém de sua confiança.
 
2 – Opte por computadores ou dispositivos pessoais protegidos: Nos casos de transações online, é de vital importância confiar na segurança dos dispositivos móveis confiáveis, em especial, para garantir que os dados sensíveis digitados durante a transação não serão interceptados por cibercriminosos que podem ter infectado a máquina. Se há dúvidas sobre o estado do equipamento, realize uma varredura com um software antivírus.
 
3 – Antivírus: É recomendável manter na máquina um antivírus atualizado e que realize a segurança do equipamento.
 
4 – Mantenha o sistema operacional e as aplicações atualizadas: Isso porque muitos cibercriminosos aproveitam as vulnerabilidades das versões antigas de sistemas operacionais e aplicações para disseminar códigos maliciosos.
 
5 – Confiança no site de compras: Se você é um adepto do e-commerce, pesquise bem o site que está comprando. Assim, será possível evitar vários problemas, como o não recebimento do produto ou a clonagem dos dados bancários,
 
7 – Crédito ou Débito: Prefira os cartões de crédito, uma vez que é mais fácil o estorno do valor.
 
8 – Não participe de pesquisas que prometam prêmios e dinheiro: Muitos sites legítimos realizam pesquisa de satisfação, mas é recomendável não acessar links de pesquisas que prometam recompensa monetária ou prêmios. Nunca forneça também o número de celular em troca de vales-presentes de alto valor oferecidos por sites.
 
9 – Não forneça informações pessoais desnecessárias: Os cadastros dos sites pedem informações pontuais. Mas nunca preencha dados que não sejam relevantes à compra.
 
10 – Fiscalize suas transações bancárias: Ao utilizar esses meios de pagamento, é aconselhável verificar os movimentos no extrato após a operação, para garantir que tudo ocorreu conforme o esperado.
 
11 – Pesquisa e bom senso: Antes de tomar alguma atitude que acredita não ser confiável na rede, peça ajuda e opinião de amigos e pesquise mais sobre a plataforma de acesso. É fácil, rápido e garante a sua segurança. 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »