04/10/2017 às 02h59min - Atualizada em 04/10/2017 às 02h59min

Moradores das Casas Populares sofrem com enxurrada nesta terça-feira

Com má estrutura do esgoto, casas alagam e até uma senhora é flagrada nadando no mar de água que invadiu as casas

Kleysykennyson Carneiro - Jornal In Foco
Fotos: Ricardo Mesquita
O povo clamou por chuva dos céus e ela veio para servir como um alento para uma das piores estiagens que Canaã já viu em sua história. O verão ainda está longe de terminar, mas a chuva deu uma pequena mostra do seu poder de destruição na tarde desta terça-feira (3) no Residencial Canaã. A água passou pelas ruas e transformou tudo em um verdadeiro rio turvo e lamacento. No meio do desespero, os moradores tentavam afastar a água com rodos, mas o esforço acabou sendo inútil: a natureza venceu.


 
Algumas casas foram invadidas pela força da água e algumas horas após a enxurrada o resultado final foi lastimável: o chão estava cheio de lama e de entulhos trazidos pela água. Alguns móveis dos moradores se perderam devido à ação da enchente. Confira nos vídeos abaixo o desespero dos moradores e o desastre deixado pela chuva.





 
Uma imagem chamou atenção. Esta senhora da foto abaixo estava nadando no mar de água e impurezas que tomou conta da frente das casas. Qual a razão do nado da senhora? Desespero ou protesto? Só podemos imaginar.


 
Toda a série de infortúnios envolvendo a força da água e o poder da enchente aconteceu por conta da insuficiência do esgoto em esvair um grande volume de água. E quem paga pelo mal planejamento da gestão são os moradores que têm de conviver com tais transtornos.


 
A senhora Maria Arlete, moradora da Quadra Z, lote 21, falou sobre a situação quando a chuva cai: “Tem um ano que moramos aqui. A gente chamou, nessa época era o Marcos Paulo, o pessoal da AMEC junto com ele e mostramos tudo isso para eles. Disseram que iam dar um jeito, mas ficaram só empurrando com a barriga. E agora está aí, a lama na minha casa. Estragou todos os móveis da minha vizinha. Todas as vezes alaga, todas as vezes... E essa é só a primeira chuva.”


 
A dona Aparecida falou sobre o momento da chuva: “Aqui foi de uma hora para a outra. A chuva já foi entrando, me ajudaram com rodos, mas não teve jeito. Alagou tudo. A cama dos meus filhos, pode ver, tem tanta lama que nem dá pra tirar. A minha cama não presta mais.” Já Luciana falou da sujeira que a água traz: “Toda vez que chove a minha casa é o mesmo problema delas, vem água pelos fundos e até ratos já encontrei por lá. É um completo descaso com a população.”
 
Apesar de fazer parte do Minha Casa Minha Vida, os moradores pagam pelas suas casas e clamam por melhor atendimento do poder público. A chuva durou pouco mais de uma hora e deixou para trás um rastro de destruição. As casas estarão preparadas para o volume de águas durante o período do inverno?
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »