04/10/2017 às 02h48min - Atualizada em 04/10/2017 às 02h48min

Presidente Junior Garra divulga lista com as 35 primeiras pessoas selecionadas para a CNH Social

Fala do presidente marca a 30ª Sessão Ordinária do Legislativo

Kleysykennyson Carneiro - Jornal In Foco
Fotos: Ricardo Mesquita
Quase metade dos vereadores faltaram à 30ª Sessão Ordinária do Legislativo em 2017, realizada especialmente nesta terça-feira (3). Nada menos que quatro parlamentares não comparecem ao pleito e não votaram em importantes indicações e Projetos de Lei debatidos e aprovados pela Casa. João Nunes (PMDB), Anderson Mendes (PTB), João Batista (PT) e Élio do Líder (PMDB) não ocuparam as suas cadeiras durante a sessão e as suas ausências foram, naturalmente, sentidas. A falta dos legisladores obrigou o presidente Junior Garra a votar em um importante Projeto de Lei de autorização de abertura de crédito adicional especial referente ao excesso de arrecadação do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (FUNDEB).


 
O Projeto, de número 039-A, havia sido rejeitado pelo setor jurídico da Câmara por conta de alguns erros em sua composição, o que acarretou no pequeno atraso do pagamento dos servidores da educação, já que a verba precisava ser votada pela Casa de Leis para ser utilizada pela Secretaria. A pequena polêmica trouxe alguns servidores da pasta à plenária para acompanhar a votação. O projeto, no entanto, foi aprovado sem sustos e o pagamento dos servidores da educação já deve estar disponível no próximo dia 5.
 
Já o Projeto de Lei, 034-A/2017, referente ao topônimo do Centro de Formação de Profissionais da Educação Rute Sampaio da Costa foi apresentado com algumas fotos da servidora. O projeto também foi aprovado de forma unânime pelos nove vereadores presentes.


 
O presidente Junior Garra (PR), no entanto, foi o grande destaque da sessão graças à apresentação do ofício 074/2017, que veio da Assistência Social, na pessoa da secretária Ana Cristina. No ofício, o nome dos 35 primeiros nomes escolhidos para serem beneficiados com o projeto da CNH Social. O parlamentar usou a tribuna para fazer um desabafo e comemorar a primeira remessa de pessoas a serem atendidas pelo inovador programa. Junior Garra distribuiu para cada vereador uma cópia do ofício com os nomes e os dados pessoais dos escolhidos. De acordo com o parlamentar, a distribuição serviria para que cada vereador fizesse a sua parte e fiscalizasse, em caso de dúvidas, a idoneidade do documento para que, assim, uma transparência do projeto fosse feita: “Eu não preciso dar CNH para ninguém. Há 14 anos sou proprietário da primeira autoescola de Canaã. Não preciso de projetos de governo para me beneficiar. Por duas campanhas levantei a bandeira desse programa e agora ele é realidade. Me sinto honrado, privilegiado e quem está recebendo o presente pelo aniversário de Canaã sou eu.”
 
Sobre a escolha dos nomes, o presidente explicou: “Foi uma seleção muito rigorosa feita pela Secretaria de Desenvolvimento Social. A escolha foi para quem realmente precisa ser atendido pelo programa. Hoje se encerra uma ladainha de muitos anos, tivemos que travar uma briga enorme para tornar este projeto realidade.” A lista com os nomes será entregue agora à empresa vencedora da licitação para que os eleitos passem pelo processo legal de emissão da CNH.


 
Em entrevista, Junior Garra falou um pouco mais sobre o programa de sua autoria: “O projeto teve início em 2013, quando essa Casa de Leis o aprovou e o encaminhou ao executivo. Como tudo que é público precisa constar no PPA, no orçamento, em 2013 não tivemos condições de fazer a implantação. Já em 2015 nós conseguimos colocá-lo no orçamento para o exercício de 2016, mas ficou inviabilizado por conta da Reforma Política que impedia que o projeto tivesse início durante o ano eleitoral. Tive a felicidade de ser reeleito e nós continuamos o nosso empenho. Hoje a CNH social é realidade, 35 pessoas já foram selecionadas e serão encaminhadas para a autoescola, onde se fará um processo para a aquisição da CNH. Para nós, é uma satisfação e a sensação é dever cumprido com a sociedade.”
 
Ainda no Grande Expediente, os vereadores Wilson Leite (PDT), Baiano do Hospital (PHS), Gesiel Ribeiro (PHS) e Walter Diniz (PMDB) fizeram algumas críticas quanto à saúde e às obras paradas da Prefeitura, em especial a Praça do Novo Horizonte. Wilson Leite ironizou: “Acho que eu vou ter que fazer que nem o vereador Anderson Mendes e arrumar um mutirão com as pessoas para a gente tirar aquele tapume de lá.” Walter Diniz, de maneira exaltada, disse que acompanharia o pedetista e falou mais: “Se fizerem o mutirão e for errado, eu quero ser o primeiro a ser preso. Já são dois anos. Olha a vergonha que é aquilo!” Gesiel Ribeiro, por sua vez, criticou as empresas ligadas à Vale pela contratação de mão-de-obra de outros lugares e ainda mostrou algumas fotos com alguns problemas que a cidade enfrentou com a chuva do início da tarde. De forma verbal, Gesiel indicou a abertura de um córrego e a sequência fluvial na Rua Castelo Branco.


 
Dionísio Coutinho (PSC), em sua fala, parabenizou a cidade de Canaã e lembrou com orgulho de ter participado da caravana que foi até Belém na luta pela emancipação política da cidade. O líder do governo mostrou otimismo com a situação atual do município: “Nós temos a esperança de dias melhores em Canaã. Todos os problemas são solúveis, de ordem econômica. Isso se resolverá.”
 
Duas indicações ao executivo foram ainda aprovadas no Pequeno Expediente. O vereador Rael da Marcenaria (PHS) fez a indicação de número 047/2017, que pede ao executivo a construção do Complexo Esportivo Municipal.


 
Já a indicação 081/2017, da vereadora Maria Pereira (PDT), pede ao executivo que faça a implantação do Centro de Atendimento ao Idoso (CECON).
 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »