30/06/2021 às 08h27min - Atualizada em 30/06/2021 às 08h27min

Covid faz expectativa de vida do paraense cair 2,71 anos

Dol
Levando em conta o aumento de mortes em 2021 causadas pela covid-19, os cientistas já calculam que neste ano os números serão ainda mais negativos.
 

A expectativa de vida do brasileiro diminuiu 1,3 ano em 2020 e vai cair ao menos 1,8 ano em 2021 devido ao excesso de mortes provocadas pela covid-19. Os dados estão em artigo publicado na terça-feira (29) por pesquisadores na revista Nature, uma das publicações científicas mais respeitadas do mundo. De acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), a expectativa de vida no Brasil, em 2019, foi de 76,6 anos —três meses a mais do que o indicador de 2018. Entre homens, ela alcançou 73,1 anos; nas mulheres, 80,1 anos.

Segundo a revista, em 2020, o país teve um resultado que o fez retroceder ao patamar de 2014. A queda foi maior para o sexo masculino (1,57 ano) do que para o feminino (0,95 ano). A maior queda absoluta e relativa entre os estados foi estimada para o Amazonas (3,46 anos), seguido por Amapá (3,18 anos) e Pará (2,71 anos), todos na região Norte. Rio Grande do Sul, na região Sul, foi o único estado com aumento estimado de 2019 a 2020 para ambos os sexos (0,07 ano), mas um declínio para os homens de 0,11 ano, aponta o estudo.

A expectativa de vida de pessoas a partir de 65 anos também caiu em 2020: o declínio estimado para o Brasil foi de 0,94 ano para ambos os sexos —especificamente 0,66 ano para as mulheres e 1,17 ano para os homens. Isso fez o país retroceder ao patamar de 2012. Novamente, a região Norte apresentou o pior resultado. “Entre os estados, as maiores quedas foram estimadas para Amazonas (3,14 anos), Amapá (2,46 anos) e Pará (2,44 anos). No Amazonas, estima-se que o sexo masculino diminua em 20% de 2019 a 2020 a expectativa de vida após 65 anos”, diz o estudo.

Levando em conta o aumento de mortes em 2021 causadas pela covid-19, os cientistas já calculam que neste ano os números serão ainda mais negativos. “Nos primeiros quatro meses de 2021, as mortes de covid-19 representaram 107% do total de 2020. Supondo que as taxas de mortalidade teriam sido iguais às taxas de todas as causas de 2019 na ausência de covid-19, as mortes de covid-19 em 2021 já reduziram a expectativa 2021 em 1,8 ano, o que é ligeiramente maior do que a redução estimada para 2020 em suposições semelhantes”, aponta o artigo. Os cientistas alegam, porém, que, como a pandemia continua, “o efeito final em 2021 será ainda maior”. Segundo cartórios de registro civil, do início da pandemia até o dia 30 de abril, o Brasil computou 417 mil mortes. 


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »