01/06/2020 às 11h46min - Atualizada em 01/06/2020 às 11h46min

Uma missão em Canaã dos Carajás: salvar a vida de animais

Conheça Ivone Kuticoski, a mulher que dedica a vida a salvar animais doentes e abandonados na Terra Prometida

Kleysykennyson Carneiro - Jornal In Foco

 
“Enquanto há vida, há esperança”.
 
A frase bíblica acima resume bem a protagonista desta reportagem. Ivone Kuticoski já perdeu a conta de quantas vezes teimou com as circunstâncias, com o mundo e até com a ciência para levar adiante a sua missão de vida: salvar animais e encontrar um lar para eles.
 
Há algumas semanas, dona Ivone encontrou um gato abandonado que estava entre a vida e a morte. A perna estava completamente machucada e já em decomposição. Para muitos, o destino do pobre animal era a morte e, talvez, sacrificá-lo fosse um gesto de misericórdia e amor. No entanto, na contramão do que já estava praticamente decretado, dona Ivone levou o felino até uma clínica veterinária. O médico avaliou rapidamente a situação, balançou a cabeça e disse que o caso era quase impossível.
 
- Não, doutor! O senhor já salvou animais em pior estado. Vamos amputar a perna dele e vai dar tudo certo. Tenho certeza que ele não vai morrer! – disse ela.
 
Sem acreditar que o animal suportaria a operação, o médico o sedou, amputou a perna e o medicou. No dia seguinte, o felino acordou bem e, acredite ou não, já estava brincando, querendo viver. Alguns dias depois, o sobrevivente foi adotado por uma família que se comoveu com a história. Hoje, está bem e é feliz em um novo lar.
 
Histórias como essa vão se acumulando nas páginas de vida de dona Ivone. Aos 56 anos, a paranaense que escolheu Canaã dos Carajás para viver há 16, falou à reportagem sobre o início da sua luta pela nobre causa. “Sempre gostei de animais; desde criança. Quando vim morar em Canaã, no entanto, me deparei com esse problema de animais doentes e jogados nas ruas sem nenhum tipo de atendimento. Me comovi e decidi lutar por eles. ”

   
E assim tudo começou. A comoção virou missão de vida. “Um dos primeiros animais que ajudei a salvar foi um cachorro idoso que tinha uma hérnia. Ele já estava muito mal. Minha filha deu a ele o nome de Compaixão e teve a ideia de fazer um bazar para arrecadar fundos. Logo depois disso, veio a ideia de fundar a ONG Anjos de Patas. “
 
Os anos se passaram, a dedicação e o amor pela causa só aumentaram e os dois ou três casos de salvamentos se tornaram centenas. Hoje, Dona Ivone já perdeu as contas de quantos animais conseguiu ajudar, mas tem plena consciência de que está fazendo a sua parte para fazer do mundo um lugar melhor. “Pretendo fazer isso enquanto eu viver. É uma missão de vida sim, mas também é amor. Cuidar deles me faz bem, tirá-los das ruas e dos maus tratos é algo reconfortante. “
 
Sobre a Anjos de Patas, entidade que abriga, alimenta, medica e prepara para a adoção centenas de animais todos os meses, ela explica. “A associação representa o amor pelos animais de rua vítimas de abandono. É aqui onde eles são socorridos e encontram um lar. “
 
Ao fim da entrevista, dona Ivone Kuticoski respondeu a uma provocação do entrevistador: “Animais são melhores que pessoas? ” Com um sorriso, a gentil dona Ivone respondeu. “Na verdade, o que eu acredito é que eles não são piores que ninguém, que merecem os nossos cuidados, atenção e que nos ensinam a amar mais. Acho que salvar um animal é agradar a Deus. “
 
Fazendo a sua parte, dona Ivone é um exemplo a ser seguido, alguém que jamais perde a fé e que acredita que todas as vidas importam.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »