01/09/2017 às 16h05min - Atualizada em 01/09/2017 às 16h05min

Jeová Andrade ‘corta na costela’ e emite decreto que reduz gastos em folha de pagamento com contratados e comissionados

Alegando crise financeira e incapacidade de manter a folha de pagamento atual, Jeová deixa os concursados quietos, mas mexe com os contratados e comissionados

Kleysykennyson Carneiro - Jornal In Foco
Foto: Ricardo Mesquita
Parece ter chegado ao fim a novela envolvendo o corte de salário dos servidores do município. Após uma turbulenta semana, protestos e ameaças de greve, o governo Jeová Andrade decreta que os comissionados e contratados serão os responsáveis por pagar o pato para que o Canaã se adeque à lei de responsabilidade fiscal. Declarando o município em situação de austeridade econômico-financeira, a Prefeitura Municipal determinou a limitação de despesas no âmbito do poder executivo municipal.
 
Depois de mandar um pacotão de reajustes para a Câmara Municipal e ter o Projeto de Lei engavetado, o prefeito usou a sua última carta e mexeu no lado mais frágil do funcionalismo público por meio de um decreto. Este não precisa de aprovação do legislativo municipal e já entra em vigor imediatamente. O gestor Jeová Andrade vive dias amargos no cargo e corta na costela para se adequar ao que exige a lei. O vereador Anderson Mendes (PTB) usou a tribuna na quarta-feira (30) e disse que todos os problemas que o governo enfrenta foram criados pelo próprio executivo.
 
De acordo com o decreto, cada secretário e diretor de autarquias será o responsável por cortar 20% de gastos da pasta que dirige, por meio de redução de salários ou mesmo por demissões. O governo municipal justificou os cortes pela crise que se instaurou no município após a desmobilização do Projeto S11D e por conta da arrecadação que está menor do que o esperado ao se fazer o planejamento.
 
Planejamento? Esse foi o questionamento do vereador Wilson Leite (PDT) também na última sessão. “O prefeito, como todo bom gestor, deveria ter se planejado para a queda de receita. Falta de dinheiro não é! É falta de planejamento” afirmou o parlamentar. O caso é que centenas de funcionários foram contratados, a folha inchou e agora os mesmos funcionários vão pagar o preço pelas escolhas feitas pelo governo.
 
Eleito com mais de 20 mil votos em 2016, Jeová parece estar na corda bomba em seu mandato. Com baixíssima popularidade, o gestor, por meio deste decreto, parece ter tomado a medida mais impopular da sua história enquanto prefeito. Canaã dos Carajás vive dias para serem esquecidos. Quem está certo e quem está errado neste jogo de poder existente no município? Para esta pergunta, só o tempo tem a resposta.

Confira aqui na íntegra o decreto da Prefeitura Municipal.

E você? Queremos saber qual a sua opinião sobre as últimas decisões do governo Jeová Andrade. Veja a nossa enquete, vote e deixe a sua opinião aqui.

 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »