10/05/2017 às 21h44min - Atualizada em 13/05/2017 às 21h44min

Vereadores fazem Homenagem ao dia das Mães.

VEREADORES HOMENAGEM AS MÃES DE CANAÃ DOS CARAJÁS

Kleysykennyson Carneiro - Jornal In Foco
O fim do expediente na 14ª Sessão da Câmara de Vereadores foi marcada por uma homenagem emocionante feita pelos vereadores às suas mães, esposas, colegas de trabalho e todas as mães da cidade. Cada legislador teve o seu tempo de 5 minutos, das explicações pessoais, completamente dedicados às belas homenagens prestadas a essas pela data festiva em questão.
 
O dia das mães é comemorado sempre no segundo domingo de maio e teve origem na Grécia Antiga, quando a festa de entrada da primavera era festejada em honra de Rhea, mãe dos deuses, segundo a mitologia. No mundo moderno, os primeiros sinais de popularização do dia surgiram nos Estados Unidos, quando Ann Maria Reeves Jarvis criou um memorial para a sua mãe dois anos após a sua morte.  Ela iniciou, então, uma campanha para tornar o Dia das Mães um feriado nacional, isso aconteceu ainda no início do século XX, no ano de 1907. No Brasil, o dia foi considerado feriado em 1932, quando Getúlio Vargas o institucionalizou aos moldes americanos.
 
Todos os representantes do legislativo canaense, a exceção do vereador Baiano do Hospital que precisou se ausentar por motivos particulares, usaram a tribuna para expressar as belas homenagens às mães. Discursos emocionantes, vozes embargadas, lágrimas nos olhos e abraços sinceros foram as marcas registradas dos tributos maternais dos legisladores. Foram entregues flores para as mães e estas posaram animadas para as fotos.
 
Um dos mais emocionados com o ato, foi o vereador João Batista (PT) que trouxe sua mãe à tribuna e também o seu pai. O legislador agradeceu a ambos pela criação e também pelo dom da vida.  A vereadora Maria Pereira (PDT) prestou homenagem à sua filha, que também é mãe, e falou das qualidades e das semelhanças entre elas. Já o presidente da casa, vereador Junior Garra (PR), em discurso descontraído, entregou flores para 3 funcionárias da casa, representantes de todas as outras, e também para a sua irmã.
 
Um dos pontos altos da ocasião, foi quando o vereador Anderson Mendes (PTB) trouxe sua mãe à frente e externou ao público presente uma das maiores reclamações maternais: “Você tem tempo para todos menos para mim”. O legislador fez uma belíssima reflexão e reconheceu que isso era, de fato, um erro, mas que a vida pública exigia isso; pediu perdão e prometeu ser mais presente. As lágrimas foram inevitáveis.
 
Em momentos assim, a sociedade percebe que por trás do homem e da mulher público há sempre um ser humano de carne e osso. Que pensa, sente, se irrita, sangra, chora e também tem família. Essas pessoas se importam com o que eles fazem e com o que dizem a respeito deles. Esses momentos transcendem as homenagens, pois eles servem também para uma reflexão pessoal da sociedade: até onde vai o político? Quando começa o ser humano? O certo é que existe uma linha tênue entre os dois e é preciso cuidado ao se criticar o representante e que jamais se misture o pessoal e o político.

 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »