06/01/2020 às 09h21min - Atualizada em 06/01/2020 às 09h21min

Nome forte na Seleção de Pia, Luana chega ao PSG para seis meses intensos: "Não sinto essa pressão toda"

Jogadora reforçará o time francês com a responsabilidade de cobrir a ausência de Däbritz, lesionada. Equipe está nas quartas de final da Champions

- Jornal In Foco
Globo Esporte
Luana assinou por seis meses com o PSG — Foto: Site oficial PSG
Luana foi anunciada na sexta-feira como reforço do Paris Saint-Germain em contrato válido por seis meses. A jogadora, que estava no KSPO WFC Hwacheon, da Coreia do Sul, chega com a missão de suprir também uma ausência importante no grupo parisiense. A alemã Sara Däbritz sofreu uma lesão séria no joelho no final de 2019 e precisará ficar afastada por alguns meses. A brasileira diz não sentir pressão por chegar nesse momento à equipe.
 
- Eu não sinto essa pressão toda. Fui muito bem recebida. Estão feliz de me ter no time. Tenho que trazer o que tenho de melhor e agregar - afirmou Luana, ao blog Dona do Campinho.
 
Nessa jornada em busca do sucesso no PSG, Luana contará com uma força especial. Figura importante no clube, Formiga trata de cuidar da colega e até mesmo dar abrigo. Enquanto seu apartamento no fica pronto, o reforço do time de Paris está hospedado na casa do ícone do futebol feminino brasileiro. A oportunidade, segundo ela, servirá para garantir um aprendizado ainda maior.
 
- Jogar com a Formiga não há palavras. Uma jogadora incrível. Fácil jogar ao lado dela. Procuro sempre aprender com ela e viver o dia a dia. Tenho a melhorar também e ficar mais entrosada. Tudo ela traduz para mim também - afirmou Luana, que neste sábado participou do primeiro treino no PSG.
 
Luana ainda não se vê nas Olimpíadas, apesar de ser figura constante na escalação da seleção brasileira com Pia - esteve como titular em seis dos oito jogos do time comandado pela treinadora sueca. Mas garante que, mesmo assim, atuar ao lado de Formiga garantirá um entrosamento ainda maior que poderá ser levado ao time canarinho e ser importante para a disputa em Tóquio.
 
- Eu quero chegar na Olimpíada, é um dos meus objetivos. Se a Pia contar comigo, o PSG tem muito a oferecer, pois jogarei Champions e um campeonato forte, que é o francês. O que for para acontecer. Depende de muitas coisas, mas estou feliz de compartilhar o dia a dia com ela - declarou.
 
O aprendizado para chegar a um clube do porte do PSG também se dá na seleção brasileira com uma treinadora de vasta experiência e bicampeã olímpica. Luana explica quais são as principais orientações da técnica para que o Brasil tenha um crescimento de qualidade, o que já pode ser notado nas últimas partidas: o jogo precisa passar quantas vezes forem necessárias pelo meio de campo até que o objetivo final no ataque seja alcançado. Além disso, é preciso participar continuamente do confronto.
 
- A Pia jogou no meio de campo então ela diz que o jogo tem que passar pelo meio quantas vezes for necessário. Participar continuamente e dar o ritmo do jogo. Controlar o jogo. É isso que ela passa para nós no meio. Transição defensiva e organização - afirmou Luana, que completou:
 
- Ela trouxe uma visão europeia do jogo. Estar bem organizada, intensidade de jogo. Tem trazido coisas boas e estamos assimilando bem.
 
Sobre o tempo curto de apenas seis meses no PSG, ela, que atualmente mora a apenas 10 minutos de carro do CT da equipe, garante que pensa apenas em aproveitar bem o tempo no clube para, quem sabe, agradar aos dirigentes e assegurar uma renovação.
 
- Eu estou pensando agora nesses meses e me adaptar o mais rápido possível e ajudar eles. Caso ocorra uma renovação é um dos meus objetivos. Jogar onde eu me sinto bem. Penso no dia a dia e me adaptar - declarou.
 
O ambiente para a rápida adaptação ela garante já ter: - Fui muito bem recebida. Fizeram questão de mostrar facilidades. Eles têm um carinho muito grande com a equipe feminina. Fazem muito pelo futebol feminino. Estou feliz em fazer parte.
 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »