23/12/2019 às 08h32min - Atualizada em 23/12/2019 às 08h32min

​Bolsonaro quer adotar critérios do excludente de ilicitude para incluir policiais em indulto de Natal

O presidente Jair Bolsonaro tem sinalizado internamente e publicamente que quer adotar critérios do chamado excludente de ilicitude para incluir policiais militares no indulto de Natal.

- Jornal In Foco
G1
G1
Ele agendou reunião nesta segunda-feira (23) para definir decreto presidencial que concede perdão para a pena de presos. Nos últimos dias, o presidente afirmou que também estenderá o benefício para policiais, mas não detalhou os requisitos.
 
Segundo o presidente, o objetivo é enquadrar no benefício os agentes condenados por excesso em operações de segurança pública, num modelo semelhante ao projeto de lei enviado ao Congresso que estabelece o excludente de ilicitude para operações das forças da GLO, decreto da Garantia da Lei e da Ordem.
 
O projeto estabelece novas situações em que a ação policial é reconhecida como legítima defesa, ampliando possibilidades de extinção de punição nesses casos.
 
A concessão de indultos está prevista na Constituição como uma prerrogativa do presidente da República. Em geral, presidentes assinam um indulto na época do Natal para perdoar a pena de presos que cumprirem requisitos estipulados em decreto.
 
Em 2018, antes de assumir a Presidência, Bolsonaro se mostrou contrário à medida ao dizer que a pena de um preso deve ser cumprida de forma integral, pois, do contrário, ocorreria "um convite à criminalidade".
 
 
Já em setembro de 2019, Bolsonaro adiantou que o indulto deste ano beneficiaria policiais "presos injustamente".
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »