24/08/2017 às 08h39min - Atualizada em 24/08/2017 às 08h39min

“Se não me ouvirem, eu vou para a guerra. Vamos tocar fogo nessa prefeitura” diz vereadora Vânia Mascarenhas na 24ª Sessão do Legislativo

Em sessão marcada por declarações fortes da bancada do PDT, frase de Vânia Mascarenhas divide opiniões

Kleysykennyson Carneiro - Jornal In Foco
Fotos: Ricardo Mesquita
Conhecida pelos desabafos e polêmicas, Vânia Mascarenhas (PDT) marcou a 24ª Sessão do Legislativo, realizada nesta quarta-feira (23), com um discurso inflamado e ameaçador. A pedetista que se declara, já há bastante tempo, como opositora ao governo Jeová Andrade, mostrou completa insatisfação durante o seu tempo de tribuna no Grande Expediente. “Bem que o meu marido Jean Carlos me disse que esse governo não nos ouviria, mas eu digo uma coisa: se não me ouvirem, eu vou para a guerra. Vamos tocar fogo na prefeitura!”
 
A frase dita por ela foi aplaudida pelos presentes, mas acabou dividindo opiniões. Para muitos, as palavras têm vários sentidos e podem ser interpretadas como uma incitação à desordem pública. Além disso, Vânia não economizou nas ameaças quando se referiu ao caso da nova secretária de assistência social: “O povo não pode pagar o preço pela incompetência dos secretários. Graças a Deus eu não votei nesse prefeito, se não estaria arrependida. Acertem essa escolha de secretários, caso contrário eu vou ao Ministério Público! E se esse governo não se achar, eu vou propor uma CPI.” Antes disso, a vereadora já havia se manifestado durante o Pequeno Expediente: “Já cansei desse governo! Estou de saco cheio” reclamou.


 
Wilson Leite (PDT) e Maria Pereira (PDT) também mostraram revolta com o caso da secretária vinda de Bragança e nomeada em Canaã dos Carajás. Wilson Leite ainda ironizou: “Quem nomeou essa secretária não estava bem de saúde.”


 
Já João Batista (PT) falou sobre o programa PROCAMPO e da necessidade de se fomentar a agricultura no município. De acordo com o legislador, a agricultura pode ser uma alternativa econômica para a geração de emprego e renda em Canaã dos Carajás.


 
Ainda no Grande Expediente, Gladis Freitas, coordenadora da Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) em Canaã dos Carajás, teve 10 minutos em tribuna para falar um pouco sobre a atuação da entidade no município. De acordo com ela, Canaã tem atualmente 300 pessoas com algum tipo de deficiência, mas apenas 20 são atendidas. Isso acontece por conta da falta de estrutura da APAE local. Gladis fez um apelo para que a Câmara tome uma iniciativa para que a instituição tenha sustentação para existir. “Só através do amor conseguimos mudar a realidades dessas pessoas” afirmou ela. Várias crianças atendidas pela instituição estiveram presentes na Câmara e emocionaram a todos quando entregaram uma lembrança aos vereadores. A coordenadora aproveitou a oportunidade para estender o convite à sociedade para o jantar beneficente que será realizado no próximo sábado (26), na intenção de se arrecadar fundos, já que ainda não existe convênio com a Prefeitura Municipal.


 
Quem também participou da sessão foi o comandante da Polícia Militar em Canaã dos Carajás, tenente Guimarães. Na ocasião, o policial falou sobre a importância da participação da sociedade na segurança pública do município e lembrou que, em certas ocasiões, a educação pode fazer toda a diferença, ao invés da repressão. O comandante falou também sobre o fundamental respeito que se deve ter ao direito do próximo.


 
Indicações aprovadas
 
Durante o Pequeno Expediente, quatro indicações ao executivo foram aprovadas por unanimidade:
 
Indicação 023/2017 de autoria do vereador Junior Garra (PR) – Pede que seja feito asfalto no Bairro Novo Horizonte.
 
Indicação 070/2017 de autoria do vereador Anderson Mendes (PTB) – Pede que seja construída uma Vila Militar em Canaã.
 
Indicação 076/2017 de autoria do vereador Gesiel Ribeiro (PHS) – Pede que seja feita a extensão da Rua Carlos Gomes no Bairro Vale Verde. Para atender essa indicação, será necessário que se indenize a área em questão.
 
Indicação 079/2017 – de autoria do vereador João Batista Gustavo – Pede que o poder executivo municipal faça a ampliação do espaço do Polo Universidade Aberta do Brasil (UAB)
 
Todos os legisladores estiveram presentes na sessão desta quarta-feira. O público compareceu em peso e viu de perto os debates em pauta. A nota negativa fica por conta do atraso dos vereadores para dar início ao pleito. O presidente Junior Garra precisou convocar por duas vezes os colegas, mas somente cinco atenderam. A sessão começou sem a presença de sete legisladores em suas devidas cadeiras.


 
A 25ª Sessão acontecerá na próxima quarta-feira (31).
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »