11/12/2019 às 09h08min - Atualizada em 11/12/2019 às 09h08min

​Lava Jato liga Lulinha ao sítio de Atibaia; crise na saúde leva Crivella a pedir ajuda a Bolsonaro

Veja quais são as notícias de destaque nos jornais brasileiros

- Jornal In Foco
G1
Foto: Reprodução
Os principais jornais do país dão destaque a 69ª fase da operação Lava Jato, deflagrada nesta terça-feira (10), que investiga contratos da Oi/Telemar e da Vivo Telefônica com empresas controladas por Fábio Luís Lula da Silva (Lulinha), filho do ex-presidente Lula.
 
De acordo com o Ministério Público Federal (MPF), o grupo Gamecorp/Gol, que pertence a Lulinha, recebeu R$ 132 milhões entre 2004 e 2016 sem comprovar parte das prestações de serviços. Em troca dos repasses, as operadoras de telefonia teriam sido beneficiadas pelo governo petista.
 
Mesmo sem apresentar provas que liguem os repasses ao sítio em Atibaia (SP), procuradores trabalham com a hipótese de que parte desses recursos tenha sido utilizado para a compra do imóvel rural.
 
As suspeitas levaram a Polícia Federal a cumprir, nesta terça-feira (10), 47 mandatos de busca e apreensão em São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia e no Distrito Federal, atingindo nove pessoas físicas e 21 empresas.
 
Não houve mandatos de busca e apreensão em endereços de Lulinha, apenas em empresas que seriam ligadas a ele.
 
Em seu título principal, O Estado de S.Paulo informa que a PF pediu a prisão temporária do filho de Lula e dos empresários Kalil Bittar e Jonas Suassuna, sócios do grupo Gamecorp/Gol, mas a juíza Gabriela Hardt, da 13ª Vara Federal, em Curitiba, não autorizou. Ela foi a responsável por dar sinal verde à operação que ficou batizada como “Mapa da Mina”.
 
 
A propriedade de Atibaia, que está no nome de Bittar, é o pivô da segunda condenação do ex-presidente Lula na segunda instância. Em novembro deste ano, o petista foi sentenciado pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) a 17 anos e 1 mês por corrupção e lavagem de dinheiro. Ele recorre em liberdade.
 
Segundo o Estadão, a Lava Jato afirmou que, paralelamente aos repasses ao grupo controlado por Lulinha, a Oi/Telemar foi beneficiada pelo governo por decisões no setor de telecomunicações.
 
Um exemplo disso, de acordo com os procuradores da operação, é um decreto assinado pelo então presidente Lula, em 2008, que permitiu a aquisição da Brasil Telecom pela Oi/Telemar. “Lava Jato liga compra de sítio a repasses de teles a filho de Lula”, sublinha a manchete do Estadão.
 
Empresas de filho de ex-presidente Lula são alvo da Lava Jato
 
Em sua reportagem principal, a Folha de S.Paulo informa que o ex-presidente Lula, que passou 580 dias preso por condenação no processo sobre o triplex do Guarujá, criticou a ação desta terça (10) e afirmou que a Lava Jato recorre a “malabarismos” para perseguir sua família.
 
Saiba aqui o que disseram os outros acusados de envolvimento na 69ª fase da operação. “Lava Jato liga filho de Lula à compra do sítio de Atibaia”, informa a manchete da Folha.
 
Em seu destaque principal, O Globo revela que o prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (PRB), foi a Brasília pedir ao presidente Jair Bolsonaro que a União socorra o município.
 
A crise na saúde da capital carioca, além do pouco tempo restante para o pagamento do 13º salário aos servidores do município, motivou a iniciativa do prefeito.
 
Segundo o Globo, os advogados de Crivella também fizeram um pedido ao Tribunal Superior do Trabalho (TST) para que a forte reveja, “por piedade”, o veto ao arresto (apreensão judicial de bens) de R$ 325 milhões nas contas da prefeitura.
 
O município quer usar o dinheiro para pagamento de funcionários terceirizados da Saúde, em greve por falta de salários. “Saúde do Rio faz Crivella recorrer a Bolsonaro”, aponta a manchete do Globo.
 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »