09/12/2019 às 10h10min - Atualizada em 09/12/2019 às 10h10min

Juntos no amor e no dever

Conheça a história de Julyana e Kaio, um casal de bombeiros militares que atua em Canaã e que prova a quem duvida que é possível separar relacionamento e trabalho

Beatriz Macieira - Jornal In Foco
“O que eu mais gosto no Kaio é que ele é muito parceiro. Se eu tô doente e não consigo comer, ele fica com fome junto comigo.”
“A Julyana, além de linda, é muito companheira. Sempre tá comigo pra tudo, tudo mesmo. Ela é muito focada e inteligente. Quando tem objetivo, ela vai atrás até alcançar.”
É assim que Julyana e Kaio definem um ao outro. Os dois, que atuam como bombeiros militares em Canaã, concederam uma entrevista exclusiva ao Jornal In Foco e falaram sobre suas rotinas, bem como a missão que escolheram para suas vidas: ajudar a sociedade e fazer o bem a quem precisa.

Casados há pouco mais de dois anos, os dois sabem bem como diferenciar a vida conjugal do trabalho. “Até o momento temos separado bem isso. Em casa, somos casal, como qualquer outro. Somos muito felizes. No quartel, somos soldado Kaio e soldado Montelo. Sem diferenciação no trabalho, nas ocorrências ou missões que possam aparecer. Tentamos ao máximo não misturar vida pessoal com a profissional.” Questionados se o trabalho afeta a convivência do casal, os dois são unânimes ao dizer que não. “Nós gostamos de fazer as coisas juntos!”
 

Trabalharem juntos e conhecerem bem a obrigação um do outro tem lá seus benefícios, revela Julyana. “A principal vantagem é que nós não entramos em conflito um com o outro por causa do trabalho. Nossa rotina no quartel é imprevisível. Então, como conhecemos a rotina um do outro, pois vivemos a mesma, nós entendemos quando temos que abrir mão da folga pra cumprir alguma missão, por exemplo.” Mas nem tudo são flores, explica. “Nossa escala nem sempre é a mesma, então nem sempre conseguimos folgar juntos. Nossos plantões são de 24 horas.”

Natural da Paraíba, Kaio contou à reportagem como conheceu Julyana. “Vi a Julyana tocando guitarra em uma igreja em Capanema-PA. Na hora lembrei de uma profecia que tinha recebido na Paraíba a respeito da mulher com quem eu me casaria. Eu já sabia que seria ela.” Julyana falou mais sobre o início do relacionamento. “Trabalhamos juntos desde antes de sermos bombeiros. Éramos professores em Capanema. Eu de matemática e ele de física. Também trabalhávamos dando aula particular na casa da minha mãe. Estudamos, passamos no concurso de bombeiro e continuamos a trabalhar juntos.”

Apaixonados pela profissão, os dois falam sobre a importância do trabalho que exercem. “Ser bombeiro militar é escolher priorizar o outro em vez de si mesmo. Jesus fez isso por nós.  Quando todo mundo foge da situação, nós corremos ao encontro dela. Sempre falamos que o bombeiro é servo da sociedade.”

Evangélicos, os dois tem como um dos principais hobbys viajar e conhecer novos lugares. Questionados sobre o desejo de continuar trabalhando juntos, falaram. “Ainda não paramos para pensar nisso. Se aparecerem oportunidades melhores pra um de nós dois, podemos trabalhar em lugares diferentes. Mas o futuro pertence a Deus, né?”

O futuro a Deus pertence, sim, mas a torcida é para que essa bela história compartilhada de amor e dever continue a mesma por muitos e muitos anos.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »