20/08/2017 às 14h54min - Atualizada em 20/08/2017 às 14h54min

Ney Matogrosso estará em álbum de Lia Sophia

Diário do Pará

Lia Sophia encerrou as gravações de seu quinto disco esta semana. A última faixa gravada contou com a participação de um dos maiores ícones da música: Ney Matogrosso. O artista esteve com Lia Sophia no estúdio, no Rio de Janeiro, para gravar “Ela”, de autoria da cantora e uma das 11 faixas que estará neste álbum.

“Adoro cantar músicas que falam da força da mulher. Gostei muito do trecho da música de Lia Sophia que diz que ela, a mulher, sangra todo mês”, elogia o cantor, que apesar de ser considerado uma das lendas da Música Popular Brasileira, é conhecido por gravar com artistas com quem ele se identifica.

Entre os versos da música estão “Mulher, mulher, dona do próprio corpo, ela faz o que quer, ela sabe o que quer”. Além da participação de Ney, “Ela” conta com a guitarra de Félix Robatto. 

“Parece um sonho, mas é realidade. Lágrimas nos olhos, coração na boca, arrepio na cabeça. Era assim que eu estava assistindo esse grande artista gravar uma música minha no meu disco novo”, conta Lia Sophia.

Com o nome provisório de “Não Me Provoca”, é o álbum com temática mais feminina da artista. Das onze canções que compõem o repertório, dez são composições de mulheres e oito têm autoria de Lia Sophia. As músicas falam de temas como liberdade e o prazer feminino. A direção artística do álbum é assinada pelo carioca Pedro Luís (que junto com Lia Sophia fez a produção musical e arranjos), Lia Sophia e Taísa Fernandes. Gravado em Belém e no Rio de Janeiro, o disco entra agora no processo de mixagem e masterização e deve ser lançado no final deste ano.

Mistura

A estética do disco segue o caminho mais original da música brasileira nos últimos anos. carimbó, banguê, marabaixo, zouk e guitarrada se misturam com outros grooves nacionais e internacionais da música pop, como o funk, reggaeton e samba. 

Além de Ney Matogrosso e Félix Robatto, o disco conta com participação de Paulinho Moska na faixa “Me beija” de Lia Sophia; o violão de Sebastião Tapajós (violão) e cordas do maestro Luiz Pardal em “Eu Me Chamo Amazônia”; o pianista Jacinto Kawage em “Não Quero Mais”. Em “Quero ver se segurar”, Pedro Luís faz uma participação especial.

Mulher cantada

Compositora, produtora, musicista e pesquisadora musical, a artista segue seu caminho escrevendo a história feminina da mulher amazônica como uma das protagonistas da cena do carimbó e outros ritmos da Amazônia, e ergue sua bandeira na defesa da cultura dessa região. 

“A ideia de um disco feminino e que traz uma linguagem universal, firmando a proposta de fusão dos sons da Amazônia à um contexto global, surgiu de maneira natural e espontânea no decorrer das composições e da minha pesquisa musical. Estou bem feliz com o trabalho”, explica Lia Sophia.

A música “Eu me Chamo Amazônia“, dá o tom exato do que a cantora pretende expressar neste trabalho, trazendo versos como: “Não me provoca, Eu sou filha da floresta, E se o vento me sopra, Eu faço pororoca”, fazendo um paralelo entre a força da natureza e a força da mulher.

Reencontro

A participação de Ney Matogrosso no disco de Lia Sophia promoveu um reencontro do artista com Pedro Luís, produtor do álbum. Em 2004, o cantor e o grupo carioca Pedro Luís e a Parede lançaram “Vagabundo” (Som Livre), projeto que foi elogiado pela crítica e que rodou o Brasil e virou um DVD.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »