21/10/2019 às 15h20min - Atualizada em 21/10/2019 às 15h20min

Casal gay adota bebê com HIV que foi rejeitada por 10 famílias

A pequena Olivia era devolvida ao orfanato quando os interessados descobriam a doença

Kécia Caroline - Jornal In Foco
com informações do Razões para Acreditar
A recém-nascida que foi abandonada em um orfanato logo depois de nascer, teve um novo rumo na sua trajetória de adoção, na Argentina.

A pequena Olivia passou por 10 famílias adotivas, mas, quando os “pais” descobriam a doença, a bebê era devolvida ao orfanato, Olivia contraiu o vírus da imunodeficiência humana (HIV) ainda na barriga de sua mãe.

Entre uma rejeição e outra, a pequena conheceu Damian Pighin e Ariel Vijarra, um casal argentino que estava à procura de uma criança para adotar há anos.
Assim que o casal a encontraram pela primeira vez, eles se apaixonaram pela fofura e delicadeza da bebê e decidiram iniciar todo o processo legal para levarem Olivia para casa. 

Os papais aguardaram pacientemente a autorização da Justiça, que se manifestou até um pouco mais rápido do que o comum. Enquanto isso, organizaram a casa e montaram um quarto especial para receber a filha. "Olivia é perfeita."



Damian e Ariel se tornaram o primeiro casal homoafetivo a se casar em Santa Fé, na Argentina. Eles esperaram por 3 longos anos até que pudessem finalmente adotar.



Segundo os pais, graças à eficácia do tratamento, o HIV não é mais detectável no corpo da menina. O tratamento com medicamentos antirretrovirais controla a ação do vírus HIV, de modo que Olivia pode viver uma vida tranquila e estável, sem maiores complicações.



Alguns meses depois de adotarem Olivia, o casal adotou uma segunda menininha: Victoria. Ambas têm a mesma idade, e completam 5 anos no final deste ano.



Além do mais, eles trabalham voluntariamente em uma ONG que auxilia casais héteros e homossexuais a adotarem filhos considerados ‘indesejados’.
 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »