10/08/2017 às 01h35min - Atualizada em 10/08/2017 às 01h35min

Luan Castro é entrevistado pelo Jornal In Foco e fala sobre detalhes da sua vida e carreira esportiva

Um dos maiores atletas de toda a história de Canaã dos Carajás concedeu uma entrevista ao Jornal In Foco e contou um pouco sobre o seu sucesso

Kleysykennyson Carneiro - Jornal In Foco
Fotos: Ricardo Mesquita
Já passava das 8 da noite quando chegamos para a entrevista com o atleta profissional Luan Castro. O local? A academia em que ele treina diariamente na busca por resultados ainda melhores. Não conhecia Luan pessoalmente, mas a primeira impressão que tive é que estava conversando com alguém absolutamente focado em seus objetivos. Luan é campeão mundial de jiu-jitsu, mas parece não se importar muito com isso. Fica evidente que o status de vencedor não mexeu com a cabeça do atleta. E o que impressiona ainda mais é que, apesar dos títulos de Luan já terem passado das três dezenas, a sua idade não chega nem a uma dezena sequer.


Aquecimento de Luan antes do treino
 
Aos 9 anos, Luan já se consolida como um dos maiores atletas da história de Canaã e é, para muitos, o maior de todos. Com 31 títulos conquistados, o garoto vem evoluindo a cada ano e o primeiro semestre de 2017 foi mágico para a carreira dele, já que o bicampeonato do brasileiro, o sul-americano e o mundial vieram em sequência. Sempre acompanhado pelo pai, Florisvaldo Junior, Luan vem participando de competições em todo o Brasil e já entra como favorito em todas as competições que disputa.


Foto: Arquivo Pessoal Luan Castro. Lutador analisando o campo de batalha
 
Enquanto conversávamos, ele não tirava os olhos do tatame onde os colegas já se aqueciam para mais um treino puxado. Parecia ansioso para fazer o que mais sabe. Ficou claro para mim que o amor de Luan pelo esporte é maior do que qualquer conquista sua e chegar ao topo não é uma questão vital, mas sim uma consequência da própria paixão pelo esporte. Junior contou que a escolha pela modalidade não teve nada a ver com ele: “O meu esporte é outro. Foi o Luan quem escolheu o jiu-jitsu e ele se dedica porque gosta de verdade da modalidade. Eu o apoio em tudo” disse o pai.
 
Apesar da rotina de treinos, Luan tem ido muito bem na escola também: “Não adianta ser um bom atleta e não ser um bom aluno, um bom filho” explica o garoto. O crescimento de Luan evidencia a mudança que o esporte pode proporcionar na vida das pessoas e que não existe idade para começar. Abaixo uma entrevista com o ícone do nosso esporte.


 
Jornal In Foco: Luan, em primeiro lugar parabéns por todas as suas conquistas. Com que idade você começou a praticar o esporte?
 

Luan: Obrigado. Eu comecei no jiu-jitsu com sete anos de idade.
 
Jornal In Foco: Bem jovem... E por que você escolheu essa modalidade?
 
Luan: Por que me chamou a atenção. Eu sempre falava com o meu pai pra gente ir lá perto da Igreja Batista [local em que os treinos aconteciam] e aí ele me levou. Fomos uma, duas vezes e aí ele me perguntou se era isso mesmo o que eu queria e eu disse que sim.


Luan em combate.
 
Jornal In Foco: E hoje, na nossa realidade, você se sente valorizado pela sua prática esportiva? E qual a sua opinião sobre isso, Junior? Você acha que o esporte já é valorizado na nossa cidade?
 
Luan: Sim, hoje eu me sinto.
 
Junior: Nós somos pioneiros aqui em Canaã e é uma das grandes dificuldades que sempre se tem aqui é a questão do esporte. Mas de quatro anos para cá o esporte vem ganhando um espaço muito bom e isso em todas as modalidades. Hoje Canaã não é só conhecida por ser uma cidade mineradora, mas também por ter bons atletas daqui.
 
Jornal In Foco: Quais são as maiores dificuldades que você encontra na sua modalidade?
 
Luan: Na verdade, não achei nenhuma dificuldade até agora, né? Mas acredito que lá na frente eu possa ter mais dificuldades, mais atletas nas competições... Aí eu acho que vai ficar mais difícil.
 
Junior: Temos dificuldade com a questão do deslocamento para as competições. As passagens, inscrição na competição, hospedagem, alimentação. Não é tão barato assim. Mas esse é o sonho dele, foi ele quem escolheu isso, até porque a minha modalidade é outra, e eu dou total apoio para ele nisso.
 
Jornal In Foco: Quem tem ajudado vocês, Junior?
 
Junior: A FUNCEL tem ajudado bastante, o Gilson realmente tem feito um bom trabalho. O presidente da Câmara, Junior Garra, também tem ajudado, a empresa Fabiano Acessórios e também a AECC. Todos esses têm sido fundamentais para as conquistas dele.


 
Jornal In Foco: E Luan, você pode me falar um pouco sobre as suas conquistas?
 
Luan: Sim, foram 31 títulos até hoje. 26 como campeão e 5 como vice.
 
Jornal In Foco: E qual foi o mais marcante para você?
 
Luan: Ah, foi quando eu ganhei o mundial esse ano. Eu fiquei muito tenso, pois eu não tinha ganhado em São Paulo, quando competi em outro mundial, e quando a vitória veio, no Rio de Janeiro, fiquei bastante emocionado pela conquista.


 
Jornal In Foco: E a sua rotina hoje como é?
 
Luan: Eu acordo às 6 da manhã, pois a escola é às 07. Saio às 11 e almoço. Às quintas e sextas, pela parte da tarde, tenho jiu-jitsu na FUNCEL. E todos os dias, de segunda a sexta, tenho aula aqui à noite.
 
Jornal In Foco: E quanto à alimentação, Junior? Tem algum cuidado especial? Quantas refeições por dia?
 
Junior: Olha, isso torna-se automático. Quando a pessoa começa uma prática esportiva, ela começa a adquirir conhecimentos a respeito da alimentação. Ou seja, é automático mesmo. Ele identifica quais alimentos são favoráveis, quais vão dar um equilíbrio para o corpo dele e o que é bom, o que é ruim. Quanto às refeições diárias, o Luan está em fase de crescimento. Então, fica complicado regular isso. Geralmente, quando ele sente fome, come.
 
Jornal In Foco: E o que o esporte mudou na sua vida, Luan?
 
Luan: Nossa, mudou muita coisa. Me ajudou a ter disciplina, mesmo eu já tendo, me ajudou ainda mais, minhas notas melhoraram, tenho mais foco.


 
Junior: O Luan sempre foi um bom filho. Nunca deu trabalho em casa nem na escola. O jiu-jitsu foi só um acréscimo.
 
Jornal In Foco: Qual o seu sonho dentro do esporte? Onde você quer chegar?
 
Luan: O meu sonho é chegar até a faixa vermelha, que é a última faixa do jiu-jitsu. Depois disso, vou mudar para outro esporte, porque eu não vou sair desse sem terminar. Eu faço porque gosto, por amor e vou sair só quando terminar.


 
Jornal In Foco: E sonha com Olimpíadas? Mesmo ainda não sendo esporte olímpico, quem sabe até você ter idade já virou... Com esse currículo, é bom começar a pensar.
 
Luan: Sim, sonho bastante e quero chegar um dia lá.
 
Jornal In Foco: E qual mensagem você deixa para as crianças que começam a pensar em praticar esse esporte?
 
Luan: O que eu quero dizer é que pratiquem mesmo. Aos pais que estão lendo a reportagem, devem saber que isso vai disciplinar o seu filho e que venham aqui no nosso Centro de Treinamento para conhecer o esporte. Tenho certeza que ele vai gostar bastante.


 
Luan se prepara agora para a disputa do campeonato paraense, da qual ele já é campeão. Apesar de chegar como favorito, o canaense sabe que é preciso analisar com cuidado os adversários e manter sempre a humildade por onde for. Logo após a entrevista, liberamos o garoto para o treino e, ao pisar no tatame, pude constatar que ali ele se sente em casa.
 
Com as medalhas no peito, fica a certeza de que o nosso esporte, apesar de ainda ter um longo caminho pela frente, já começa a produzir verdadeiros campeões. Luan agradeceu também a Gleyson, seu mestre, que lhe apoia totalmente na sua jornada por mais conquistas. Por aqui, fica sempre a torcida para que mais conquistas venham, afinal de contas, os sonhos de Luan acabam sendo os nossos também.


Luan e Gleyson posam juntos com alunos do Centro de Treinamento
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »