04/09/2019 às 12h27min - Atualizada em 04/09/2019 às 12h27min

Quem matou Edna Diniz? Mistério persiste 50 dias depois do crime

Há quase três meses, uma mulher deixou sua casa, na Vila Planalto, para dar à luz a uma criança e levou um tiro na cabeça. Até hoje, a Polícia não encontrou os culpados e há mais dúvidas do que certezas a respeito do crime

Beatriz Macieira e Kécia Caroline - Jornal In Foco
Foto: Reprodução/Internet
Há exatos 50 dias, uma mulher, Edna Diniz Torres, de 34 anos, estava grávida de nove meses e sentiu as dores do parto. Por volta das 21h, Edna e o marido deixaram a Vila Planalto, local em que moravam, e seguiram em direção ao Hospital 5 de Outubro, núcleo urbano do município. No caminho, o carro foi abordado por uma dupla de motoqueiros.

Sem muitas explicações, um tiro foi disparado contra o carro e o projétil atingiu a nuca de Edna. A mulher, que reclamava das fortes dores que sentia, instantaneamente se calou. O marido tentou falar com ela e estranhou o silêncio. Quando percebeu o sangue, ficou apavorado e correu em direção ao hospital.
Essa é a versão do homem sobre o ocorrido. Sem testemunhas oculares do crime, nada mais se sabe sobre o caso.

Chegando no hospital, Edna foi atendida, mas já estava morta. Agilmente, os médicos fizeram o parto e a criança foi retirada da mãe com vida. No entanto, apesar de estar respirando, o bebê teve complicações e foi transferido de imediato para Belém.

Lá, a criança não resistiu e acabou morrendo também. A noite do dia 14 de junho de 2019 jamais será esquecida, pois destruiu uma família e comoveu toda a cidade.

O crime teve repercussão nacional. Sites reproduziram o ocorrido, o efetivo policial foi reforçado para as investigações, mas, até o presente momento, nenhuma resposta foi dada à sociedade. A mãe de Edna, que mora no estado do Ceará, esteve na cidade na última semana atrás de respostas, mas o silêncio persiste.
Quem matou Edna Diniz? Por onde andam os assassinos? Há alguma outra razão para o crime? O que estaria por trás desta trama?

Ainda em junho, um áudio, que foi desmentido pela Polícia, circulou nas redes sociais afirmando que o crime foi motivado por um acerto de contas. Onde há fumaça, há fogo?

Infelizmente, 50 dias depois do ocorrido, há mais perguntas que respostas e, ao fim, muito pouco se sabe sobre o bárbaro crime que tirou a vida de uma mãe e de uma criança recém-nascida.

A equipe do Jornal In Foco esteve na Delegacia de Polícia e foi informada de que as investigações continuam acontecendo, mas em sigilo. A PC apenas afirmou que, até agora, não há nada confirmado sobre o caso.

A equipe policial explicou ainda que o Disk Denúncia continua ativo e que informações que levem aos criminosos ainda estão sendo aguardados. O número é (94) 3312-3350 e o WhatsApp (94) 98198335

O mistério continua, o silêncio persiste e a dor para os familiares é inesgotável.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »