26/06/2019 às 15h17min - Atualizada em 26/06/2019 às 15h17min

Rodoviária de Canaã dos Carajás tem energia cortada por falta de pagamento e revolta comerciantes.

Segundo informações a prefeitura estaria com uma dívida de R$100,000,00 (cem mil reais), o que já foi desmentido pela administração do local.

Redação - Jornal In Foco
Na tarde de ontem (25) por volta das 16h à rede Celpa realizou um corte de energia na rodoviária de Canaã dos Carajás alegando falta de pagamento, a ação revoltou os trabalhadores do local que disseram que não é apenas a energia que deixa de faltar no local.

A discussão em torno da rodoviária completará 21 anos, muitas promessas feitas e poucas delas realizadas. De acordo com os trabalhadores entra prefeito e sai prefeito e nada é feito. Para quem chega na cidade já nota que a estrutura de “boas vindas” é precária.

Raimunda da Silva, trabalha há 20 anos vendendo comidas típicas no local e diz não recordar de quando a rodoviária esteve em bons funcionamentos “Trabalho só há 20 anos aqui e sempre foi de mal a pior, as condições não melhoram. Oito dias atrás retiraram o padrão desse quarteirão da rodoviária, ficou todo mundo sem energia, depois colocaram o padrão novo, porque o antigo vivia pegando fogo. Agora veio essa ordem de corte de energia. Todo ano é isso, quase todo mês, já virou até costume. ”


Pelo local é possível perceber várias gambiarras nos fios de energia e na infraestrutura.

Outros comerciantes falaram que além da energia, há também falta de abastecimento de água e de limpeza, como relata a vendedora Sandra Passos “Às vezes nós estamos com clientes e o contêiner de lixo está cheio, e aí fica aquele odor, não tem quem aguente comer num lugar fedido, não adianta a gente zelar pelos nossos boxes e na parte de fora ser sujo, aí depois falam que a gente que não zela, não limpa, não ajuda, mas como? Querem que a gente faça todo o serviço deles agora? ”

Outra comerciante relata o sofrimento com água que falta no local “Não tem jeito, aqui se você quiser limpar suas louças, lavar seu estabelecimento tem que ir ali do outro lado da rua, encher o balde e voltar para cá, não tem água para nada, as pias se você ligar agora não cai uma gota de água, mas a conta está aí chegando, a gente pagando e nada é feito. O aluguel daqui é R$200,00, mais a água e a energia, vem tudo caro e a gente não sabe porque, porque nós não usufruímos como gostaríamos, é difícil. ”


 "Não tem quem aguente comer num lugar fedido" disse uma das vendedoras de comidas

A nossa equipe de reportagem entrou em contato com a assessoria de comunicação das secretárias responsáveis pelo fornecimento de água, administração e limpeza do ambiente e em nota eles relataram que a informação repassada pelos trabalhadores sobre a dívida da prefeitura com a rede Celpa não é verdadeira. “Na rodoviária, não há débito nenhum da Prefeitura com a concessionária de energia, o corte aconteceu por engando e os detalhes dessa questão estão sendo resolvidos. A energia no setor foi religada e a situação foi normalizada. ”

Em relação à limpeza, a Secretaria de Obras ressaltou que “A coleta de lixo está sendo feita de forma regular no local e um mutirão de limpeza urbana foi feito recentemente no setor. No entanto, será feita uma avaliação no local para verificar possíveis melhorias. ”

Já o Sistema de Autônomo de Água e Esgoto (SAAE), informou que o “Fornecimento de água está normal no centro da cidade, porém uma equipe de engenharia já foi destacada para avaliar a situação da rodoviária. ” 

A Celpa também informou em nota que a conta contrato desligada no local em que funciona a antiga rodoviária de Canaã dos Carajás foi a que pertence a prefeitura do município. O pedido de desligamento e encerramento contratual foi solicitado pelo órgão à concessionária de energia. Os ambulantes que trabalham no local e estavam conectados ao padrão de energia da prefeitura estão sendo orientados a solicitarem o pedido de ligação nova na Celpa para que sejam regularizados. ”

Desde 2017 a população aguarda pela construção da nova rodoviária, o projeto que foi apresentado no mesmo ano finalmente parece que vai sair do papel. Em entrevista exclusiva para rádio, ontem terça-feira (25), o vice-prefeito Alexandre Pereira, detalhou sobre o “Pacote de Obras”, um projeto que será realizado pela Prefeitura Municipal e que traz como destaque as principais obras aguardadas pela população como a rodoviária, o novo centro administrativo da prefeitura, centro de zoonoses e de um complexo esportivo.  “São obras que vão melhorar e ampliar a nossa infraestrutura, e fazem jus à nossa arrecadação, devolvendo esse recurso público para a sociedade”, definiu.

No pacote de obras está inclusa ainda a construção de um Lago Recreativo (o 1º da cidade) próximo à rotatória de acesso ao Residencial Canaã, local que já conta com um letreiro turístico, a construção de um Centro de Zoonozes e de um Complexo Esportivo. Também integra o pacote o asfaltamento da via do morro de entrada da cidade, interligando a Avenida Weyne Cavalcante, desde o Clube Sossego, até o Distrito Empresarial. “Esperamos que, já em 2020, essas obras estejam prontas e a sociedade desfrutando disso”, destacou.

“Com essas obras, vamos gerar divisas, renda e melhorar a qualidade de vida no município”, completou. Segundo o prefeito em exercício, a expectativa é de que o pacote de ações também ajude a movimentar a economia, gerando até 1,3 mil empregos diretos, podendo chegar a 2 mil indiretos.


O projeto da nova rodoviária foi apresentado em 2017 e finalmente poderá sair do papel

Alexandre destacou ainda que o município segue trabalhando para o asfaltamento da chamada Estrada do Posto 70 (TransCarajás), que dá acesso à BR-155, obra que está no cronograma do governo do Estado. Segundo ele, no entanto, caso haja alguma dificuldade do governo estadual para o início da obra até o ano que vem, o município está disposto a financiar parte dela, até a divisa de Canaã.

O prefeito em exercício ainda citou que outras ações, de incentivo à geração de emprego, seguem em andamento, como o Fundo de Desenvolvimento Sustentável, a implantação do Distrito Empresarial, onde 15 empresas já estão se instalando, e a criação do  Polo Educacional (a Unifesspa já está com vestibular aberto para os dois primeiros cursos).

 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »