15/01/2019 às 11h29min - Atualizada em 15/01/2019 às 11h29min

Sem funcionários por paralisação, Trump compra hambúrgueres para jantar com atletas

Muitos funcionários da Casa Branca não estão trabalhando durante a paralisação, que é a mais longa da história do país.

- Jornal In Foco
G1
Presidente americano serve fast food em jantar com atletas nesta segunda-feira (14) por falta de funcionários na Casa Branca devido à paralisação parcial do governo americano — Foto: Joshua Roberts/Reuters
O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, recebeu nesta segunda-feira (14) na Casa Branca o time de futebol americano Clemson Tigers, campeão da liga universitária, com cerca de 300 hambúrgueres encomendados no Burger King, McDonald's e Wendy's, além de pizzas do Dominos.
 
"Temos pizzas, temos 300 hambúrgueres, muitas muitas batatas fritas, todas as nossas comidas favoritas. O motivo é por causa da paralisação", disse Trump a repórteres antes de receber os atletas.
“Eu quero ver o que estará aqui quando sairmos, porque não acho que será muita coisa”, disse Trump, antes dos jogadores, vestidos de terno, entrarem a sala e começarem a se servir.
 
A Casa Branca disse que o próprio Trump ofereceu o que descreveu como “a grande comida americana”. O presidente explicou que pagou do próprio bolso pela comida devido à falta de funcionários na Casa Branca pela paralisação parcial do governo, que entrou em sua quarta semana.
 

Jogador do Clemson pega hambúrgueres em jantar nesta segunda-feira (14) na Casa Branca — Foto: Joshua Roberts/Reuters
 
Em nota, a Casa Branca afirmou que o presidente queria "organizar um evento divertido" para comemorar o título do Clemson Tigers. E, por esse motivo, ele decidiu pagar pelo fast-food. Também afirmou que muitos funcionários da Casa Branca não estão trabalhando durante a paralisação.
 
"Eu fiz uma escolha. Ou não oferecíamos comida, porque estamos em uma paralisação. Ou serviríamos pequenas saladas que a primeira-dama (Melania Trump) prepararia com a vice-primeira-dama (Karen Pence). Ou peço uns mil hambúrgueres", afirmou o presidente.
 
 

Trevor Lawrence, do time de futebol americano Clemson, participa de jantar na Casa Branca em que foi servido fast food — Foto: Joshua Roberts/Reuters
 
O Clemson Tigers, da Carolina do Sul, venceu a grande decisão da temporada do futebol americano universitário na última semana com uma grande virada sobre o Crimson Tide, do Alabama.
 
Com atletas críticos às políticas de Trump, equipes campeãs das ligas profissionais do país, como o Golden State Warriors, atual detentor do título da NBA, e o Philadelphia Eagles, último vencedor da NFL, decidiram não visitar a Casa Branca depois das respectivas conquistas.
 
Paralisação
A atual paralisação parcial do governo federal dos EUA é a mais longa da história do país. Ela bateu o recorde no último sábado, ao completar 22 dias. Um quarto do governo federal está sem funcionar e 800 mil servidores públicos estão sem receber salário. A paralisação ocorre por falta de um projeto de orçamento.
 

Entrada de Parque Nacional de Death Valley, na Califórnia, é fechada devido a paralisação do governo federal dos EUA — Foto: Jane Ross/Reuters Entrada de 
 
 O bloqueio do orçamento é resultado da queda de braço entre o presidente Donald Trump e a oposição democrata por causa da construção do muro na fronteira com o México.
 
De um lado do cabo de guerra, está Trump dizendo que só aprovará o orçamento deste ano se os congressistas incluírem no projeto quase US$ 6 bilhões para a barreira física que, segundo ele, é a solução para impedir a imigração ilegal nos EUA.
 
No outro lado, está a Câmara, controlada pela maioria de democratas, e que não concorda em incluir a cifra e liberar o dinheiro, dizendo que a política migratória e os argumentos do governo sobre o tema são enganosos e que fazem parte de uma "crise fabricada".
 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »