01/11/2018 às 17h39min - Atualizada em 01/11/2018 às 17h39min

Vigilância Sanitária realiza curso para batedores de açaí em Canaã

Alex Rocha - Jornal In Foco
Alex Rocha
A Prefeitura Municipal, através das Secretarias de Saúde e Desenvolvimento Econômico, por meio da divisão da Vigilância Sanitária, realizou nesta quinta-feira (01), no auditório localizado na secretaria da feira do produtor o curso de boas práticas para abatedores de açaí onde reuniu 15 empreendedores do município no ramo do fruto do açaizeiro.

O objetivo do curso foi promover a maneira correta de manipular o fruto para evitar contaminação no processo de transformação do fruto em polpa, capacitando então os comerciantes para evitarem a contaminação dos consumidores pelo inseto conhecido como barbeiro, transmissor da doença de Chagas.

Bruno Alves gerente da divisão da Vigilância Sanitária  falou um pouco do treinamento “O curso é voltado para os manipuladores do açaí da cidade, sabemos que açaí além de um alimento da cultura do estado, ele pode ser um veículo de doença, então essas palestras visa as boas práticas de manipulação que vai desde a infraestrutura do estabelecimento, passando por higiene pessoal, higiene do local e dos frutos até chegar à comercialização. ”


Bruno Alves gerente da divisão da Vigilância Sanitária


Ormeu Brito Neto, fiscal da vigilância sanitária e palestrante ressaltou a importância do curso. “O intuito é que os manipuladores e os consumidores tenham uma boa desenvoltura quanto à manipulação de alimentos, assim prevenindo a doenças de chagas que é transmitida pelo protozoário ‘Trypanosoma cruzi’ que também está presente no fruto do açaí. Desta forma, viemos hoje para alertar os manipuladores da fruta no intuito de diminuir dos casos”.

 

Ormeu Brito Neto fiscal da vigilância sanitária

Sobre a Doença de Chagas

A doença de Chagas é uma infecção generalizada causada por um protozoário chamado Trypanossoma cruzi, cujo transmissor é um inseto popularmente conhecido como barbeiro. Ao picar a vítima, o inseto deixa fezes no local que entram em contato com a corrente sanguínea e com órgãos, como o coração. Após a picada, geralmente, a reação é de coceira no local e isso facilita ainda mais a contaminação pelo sangue.

Os sintomas mais comuns são ferimentos parecidos com furúnculo, inchaço nas pálpebras dos olhos (Sinal de Romanã), febre, mal estar, cansaço, dores na garganta e dificuldade de engolir.
 

 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »