19/10/2018 às 10h54min - Atualizada em 19/10/2018 às 10h54min

Palácio do Planalto exonera diretor do Ministério da Saúde preso pela PF

João Salame foi indicado para o cargo pelo PP, durante negociações para barrar denúncia da PGR contra Michel Temer na Câmara

- Jornal In Foco
O Globo
O Globo
Preso pela Polícia Federal   nesta quinta-feira, durante a Operação Partialis, o atual diretor do Departamento de Atenção Básica do Ministério da Saúde, João Salame Neto , foi exonerado nesta sexta-feira pelo ministro Eliseu Padilha, da Casa Civil.

Salame foi preso por ser suspeito de envolvimento no esquema que desviou mais de R$ 2 milhões em recursos públicos federais destinados a aquisição de gases medicinais para o Pará.

A Operação Portialis foi deflagrada para cumprir nove mandados de busca e apreensão e sete mandados de prisão. O presidente nacional do PROS, Euripedes Júnior, que também tem mandado de prisão decretado, está foragido . A ação ocorreu em Marabá, Altamira e Brasília.

Ex-prefeito de Marabá, João Salame Neto chegou a ser afastado do cargo por improbidade. Ele integrava o governo do presidente Michel Temer desde agosto de 2017, indicado pelo PP durante as negociações dos partidos com o Palácio do Planalto, para derrubar na Câmara a denúncia apresentada pela Procuradoria-Geral da República contra o presidente Temer. A indicação de Salame foi feita por cinco deputados do PP e atendeu o grupo chamado de "Centrão".

O departamento comandado por Salame é considerado estratégico na estrutura do Ministério da Saúde, porque cuida da atenção básica, como o programa saúde da família.

 
 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »