04/09/2018 às 09h30min - Atualizada em 04/09/2018 às 09h30min

Faltando menos de 45 dias para o Círio, Pastoral da Acolhida não recebeu 5% do esperado de doações

A Pastoral precisa de pelo menos 10 toneladas de feijão, 8 toneladas de arroz, 8 toneladas de macarrão e aproximadamente 5 mil litros de óleo. Materiais de limpeza também são aguardados. Pastoral espera receber aproximadamente 65 mil romeiros.

- Jornal In Foco
G1
G1
Faltando menos de 45 dias para o Círio 2018, a Pastoral da Acolhida não recebeu 5% do esperado de doações. A coordenação está preocupada, pois faltam principalmente alimentos não perecíveis e materiais de higiene usados para alimentar e cuidar dos romeiros que chegam à pé à capital vindos de vários lugares do estado. A caminhada é difícil, mas move pessoas todos os anos em nome de Nossa Senhora de Nazaré, padroeira dos paraenses.
 

Em 2017, 58 mil pessoas foram acolhidas na Casa de Plácido na semana do Círio. Além dos cuidados de saúde, com curativos, os peregrinos recebem ainda alimentação. Este ano, os voluntários da Pastoral da Acolhida esperam receber aproximadamente 65 mil pessoas na Casa de Plácido, mas apesar de já haver algumas doações no almoxarifado, a quantidade não é nem 5% do que eles precisam.

A Pastoral precisa de pelo menos 10 toneladas de feijão, 8 toneladas de arroz, 8 toneladas de macarrão e aproximadamente 5 mil litros de óleo.

Depois de caminhar quilômetros, na chegada à Praça Santuário, muitos romeiros se emocionam. E quando o corpo esfria e o cansaço bate, tem sempre alguém a postos para ajudar na Casa de Plácido. “Essas pessoas vêm de longe e com fome. E nós vivemos 100% através de doação”, diz o coordenador da Pastoral da Acolhida João Rodrigues.

Servidoras públicas decidiram se unir há mais de 10 anos para que não falte nada aos romeiros. Seja em oração ou com a mobilização dos colegas de trabalho. “No início era uma coisa muito simbólica. A gente conseguiu encher um carrinho de supermercado para levar. A doação cresceu tanto que hoje a gente já leva dois carros”, diz a controladora Socorro Pessoa.

José Nazareno Henrique é de Castanhal, mas já esteve na Casa de Plácido como romeiro 39 vezes. A cada Círio, uma surpresa diferente, ao ver um gesto de humildade de quem nem precisava estar ali. “Eu estive lá várias vezes. Encontrar um advogado lá lavando os meus pés por agradecimento a Nossa Senhora, é uma coisa muito bonita, porque nós precisamos trabalhar mais essa parte espiritual”, diz.

 Doação

Além de alimentos, a pastoral também arrecada produtos de higiene e limpeza, utilizados para lavar os pés dos romeiros. As doações podem ser feitas no Centro Social de Nazaré, na sala da Pastoral da Acolhida, que fica ao lado da Basílica de Nazaré, de segunda a sexta-feira, de 9h às 12h, e de 15h até às 21h.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »