07/06/2018 às 09h03min - Atualizada em 07/06/2018 às 09h03min

Pesquisa mostra que metade das crianças entre 0 e 5 anos está fora de creches e escolas no Pará

Os dados colocam o estado na sétima colocação nacional na ausência de crianças na educação infantil. Além disso, muitos pais não conseguem vaga no mercado de trabalho por não terem com quem deixar os filhos.

G1 PA - Jornal In Foco
g1.globo.com
Uma pesquisa do IBGE mostra que mais da metade das crianças paraenses entre 0 e 5 anos está fora da sala de aula no Pará, ou seja, 57% delas. Os dados colocam o estado na sétima colocação nacional na ausência de crianças na educação infantil. Além disso, muitos pais não conseguem vaga no mercado de trabalho por não terem com quem deixar os filhos.
 
O número demonstra o sacrifício dos pais em busca de uma vaga em creches para os filhos no Pará. No início do ano, o G1 mostrou as filas que se formaram de madrugada em frente às creches da capital.
 
Com apenas dois anos de idade, filha da manicure Adriane dos Santos já mostra habilidade com o alfabeto. Mas a mãe está angustiada, porque nunca conseguiu vaga para a filha em uma creche de Belém.
 
“Eles falaram: olha, a gente vai colocar ela em uma lista de espera, pois, infelizmente não tem vaga pra ela”, conta.
 
Ela está desempregada e, quando consegue alguma oportunidade, tem dificuldade de agarrá-la, porque não tem com quem deixar a filha.
 
“O pai dela trabalha e só é nós três. Às vezes eu pego chuva com a minha filha, porque eu tenho que trabalhar pra manter as coisinhas dela”, diz.
 
O problema se repete em outras cidades do estado como em Marabá, sudeste do estado. A filha da dona de casa Kerline Alves, de três anos de idade, também não está estudando, situação que preocupa a mãe.
 
“A vaga é muito concorrida. Só é 25 vagas parece e é difícil pra conseguir”, explica.
 
Para especialistas da área, a educação infantil precisa ser olhada com prioridade pelo poder público. Nesse ponto, além da construção de creches, é preciso mais investimentos no acompanhamento no desenvolvimento desses pequenos estudantes.
 
“A criança que tem a oportunidade de ter acesso a essa formação inicial tem a possibilidade de se relacionar com crianças de faixa etária diferente, com adultos e com profissionais que foram habilitados e que estão preparados para estar junto dessas crianças trabalhando, acompanhando, mediando esse desenvolvimento dela”, diz a doutora em educação Celita Paes.
 
 
Em nota, a Secretaria de Educação de Belém informou que planeja inaugurar mais 12 unidades de educação infantil, para atender 100% da faixa etária obrigatória, que é de 4 a 5 anos, e que, até 2024, o objetivo é atender até 50% da faixa etária de 0 a 3 anos.
 
Já a prefeitura de Marabá disse que existem 35 creches em funcionamento na cidade e mais 12 núcleos de educação infantil estão em obras, e que cumpre o que rege a lei de obrigatoriedade de matrículas de crianças de 0 a 5 anos, com 8.172 alunos matriculados.
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »