09/05/2018 às 11h53min - Atualizada em 09/05/2018 às 11h53min

A situação da saúde canaense ainda não é das melhores

Após a promessa de melhoria na saúde pública de Canaã a população ainda vem enfrentando diversos problemas.

Atila Penha - Jornal In Foco
Internet
Desde o fim do ano de 2017 o município decidiu implantar um novo modelo no sistema de saúde que visou ter melhorias no atendimento básico para a população. A ideia inicial seria transformar as unidades de saúde espalhadas pelo município em centros médicos, para que pudessem atender cada demanda individualmente, tirando o foco principal de atendimento o hospital municipal da cidade.

Na época a ideia gerou certa duvida na população que acabou abraçando.

O novo sistema já está em vigência desde o início do ano, as unidades passaram a ter seu horário ampliado com atendimento ininterrupto das 08hs ás 19hs. Na teoria tudo estaria funcionando bem, mas nas ultimas semanas a população canaense vem se queixando.

A maioria dos pacientes reclamam da demora em fazer os exames que muitas das vezes são marcados com mais de trinta dias após a consulta. O motivo de tanta demora é o congestionamento no laboratório do hospital, apesar da melhoria do atendimento nas unidades o novo sistema acabou aumentando a demanda no laboratório gerando demora para a execução dos exames. Segundo informações do hospital seria necessário a contratação de apenas quatro funcionários para suprir a necessidade laboratorial.

A nossa reportagem procurou a secretaria de saúde para esclarecer o problema, Daiane Celestrini falou ao Jornal In Foco sobre as brechas na saúde. Daiane relatou que após a implantação do novo sistema a secretaria conseguiu melhoras muitos setores da saúde, com uma melhoria no atendimento e na distribuição de funcionários.

A respeito da demora nos exames a secretária falou que a demora e normal “hoje nos estamos coletando 100 pessoas com uma média de 500 a 600 exames por dia, fora a demando do hospital. Pela legislação do SUS os exames de urgência podem esperar ate 90 dias, mais esses pacientes que precisam com urgência, gestantes e pacientes do CTA são feitas imediatamente, então pacientes que não tem prioridade vão para a fila de espera.” Relatou também que desde que o sistema começou o tempo de espera diminuiu de cinco meses para apenas 30 dias o que é justificável segundo a secretária.

Para ter uma diminuição ainda menor, seria necessário a construção de um novo laboratório, mas segundo a secretaria não é a prioridade no momento, “A gente trabalha o financeiro, não podemos chegar contratando sem ver o financeiro, então nos estamos voltando os funcionário aos poucos, priorizando o atendimento tanto no hospital quanto nas unidades.”  Será feita uma avaliação em todo o sistema para que seja avaliado os pontos que ainda estão a desejar, a previsão é que até setembro todos os problemas já estejam resolvidos.
 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »