28/10/2022 às 12h22min - Atualizada em 28/10/2022 às 12h20min

Futebol, bares e atos políticos: sábado será cheio em Belém

Final da Libertadores, jogo do Paysandu, atos pró Lula e Bolsonaro devem agitar o sábado em Belém. A segurança, que será ampliada neste dia, também será reforçada mais ainda no domingo.

Heitor silva - jornalinfoco.com
dol
 

Atarde e a noite de sábado (29) prometem ser bastante agitadas na Grande Belém. Por quê?

Porque às 17h, inicia a final da Copa Libertadores da América entre Flamengo e Athletico-PR, que certamente levará grande quantidade de pessoas a bares e restaurantes da cidade. Às 20h, no Estádio Banpará Curuzu, o Paysandu estreia na Copa Verde, contra o Humaitá-AC. Apesar do time não ser dos mais conhecidos, a partida é de alto risco (afinal, quem perder estará eliminado) e pode atrair um público razoável de torcedores.

Para completar, ao longo do dia, em especial pela tarde e noite, estão previstos atos, carreatas e manifestações espontâneas de simpatizantes de Luiz Inácio Lula da Silva e Jair Bolsonaro, candidatos à presidência neste 2º turno. 

Como se nota, o dia deve ser marcado por expectativa, tensões, comemorações e/ ou frustrações. Deve haver também grande consumo de bebidas alcóolicas, ainda que às 00h de domingo (30) tenha início a chamada Lei Seca. Policiais deverão estar a postos em vários pontos da cidade para evitar e coibir possíveis problemas. O contingente será maior ainda no domingo das eleições decisivas.

OPERAÇÃO PARA DOMINGO

A Operação Eleições 2022, que será realizada sob a coordenação da Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup), mobilizará um contingente superior a 8 mil agentes de segurança no Pará durante o segundo turno das eleições, que acontece neste domingo (30). 

Fake News: militares de prontidão vão poder votar no domingo

Apoiadores de Lula e Bolsonaro se agridem em frente à Ufra

Conforme noticiado pelo jornalismo do DOL, na última quinta-feira (28), os Comandantes Gerais da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros Militar acataram a recomendação do Ministério Público do Estado (MPPA) de manter prontidão a todo o efetivo de suas corporações no segundo turno das eleições. Fato que vem sendo utilizado de forma criminosa em grupos de mensagens e compartilhadas por apoiadores do candidato à reeleição, Jair Bolsonaro (PL), afirmando que os militares foram “aquartelados” para não votar. 

JORNAL ESPALHA INFORMAÇÃO FALSA

Na manhã desta sexta-feira (28), o Ministério Público do Estado (MPPA) emitiu uma nota após uma publicação do Jornal O Liberal, em sua coluna "repórter 70”, afirmar que “todo o efetivo da Polícia Militar estará trabalhando das 8h até às 17h... Porém, os militares não vão poder votar.”, o que foi negado pela 2ª Promotoria de Justiça Militar.

Em conversa com o DOL, Armando Brasil, informou que a nota é falsa e classificou a publicação como absurda. "Qualquer notícia dizendo que os militares estão proibidos de votar é fake… Risco pequeno? Absurdo falarem isso !”

O 2º Promotor de Justiça Militar Armando Brasil também esclareceu que "qualquer notícia dizendo que os policiais e bombeiros militares estão proibidos de votar é “fake news”, pois a Recomendação do Ministério Público do Estado aos comandantes-gerais foi para que todo o efetivo das duas corporações fiquem de prontidão, o que não significa aquartelamento.

Ele afirmou também que "foi estabelecido por meio de ordens de serviço expedidas pelos comandantes-gerais da PM e Corpo de Bombeiros que haverá o revezamento da tropa, com escalas que permitirão aos militares o deslocamento para exercerem o seu direito a voto", finalizou.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »