28/10/2022 às 12h11min - Atualizada em 28/10/2022 às 12h08min

Apoiadores de Lula e Bolsonaro se agridem em frente à Ufra

Manifestantes dos dois presidenciáveis faziam "bandeiraço" em frente à Universidade Federal Rural da Amazônia, em Belém, quando começaram a trocar pauladas entre si.

Heitor silva - jornalinfoco.com
dol
 

Faltando menos de três dias para a realização do segundo turno das Eleições 2022, apoiadores dos candidatos Jair Bolsonaro (PL) e Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que disputam a Presidência da República, se mobilizam para tentar conseguir o máximo de votos possíveis para um dos dois candidatos.

 

No entanto, algo que tem marcado esta disputa é a intolerância e a violência. E mais um lamentável episódio de agressões envolvendo apoiadores dos dois lados foi compartilhado nas redes sociais na tarde de quinta-feira (27).

Veja também:

Vídeo: idosos são agredidos em manifestação pró-Lula no DF

Donos do Roxy Bar relatam hostilidades após apoio político

Em Belém, dois grupos, um pró-Bolsonaro e outro pró-Lula, faziam "bandeiraço" em frente ao Campus da Universidade Federal Rural da Amazônia, às margens da avenida Perimetral, no bairro da Terra Firme, quando uma jovem e um homem começaram a trocar agressões com as bandeiras. Não se sabe quem começou a pancadaria.

No vídeo que circula nas redes sociais, a pessoa que gravou a cena diz que os próprios estudantes da Ufra decidiram fazer o "bandeiraço" a favor de Lula após manifestantes de Bolsonaro chegarem ao local.

A manifestação dos alunos teve origem a partir de um ato estudantil convocado para se posicionar contra o novo Projeto Pedagógico Institucional (PPI) de tornar entre 40% e 100 % da grade dos cursos da universidade em Ensino a Distância (EAD) já em 2023, o que teria revoltado a comunidade acadêmica.

Segundo o DCE, a própria reitora da Ufra, Herdjania Lima, teria convocado uma manifestação a favor de Bolsonaro no mesmo dia, local e horário em que os estudantes marcaram o protesto contra as mudanças na grade dos cursos.

Nas imagens, é possível ver o uso de carro-som com músicas a favor do candidato do PL tocando em alto volume, o qual teria atrapalhado a aula de alguns universitários, além de bandeiras, faixas e outros materiais de campanha. Bem ao lado, a manifestação de estudantes reunia cartazes críticos ao EAD e bandeiras a favor do presidenciável petista.

No momento da agressão, ambos os grupos estavam lado a lado. Os estudantes dizem que a própria reitora estava na manifestação pró-Bolsonaro.

Os universitários denunciam, ainda, que mesmo após uma aluna da Ufra ser agredida, a reitora não interviu, apenas observou todo o ocorrido. Os apoiadores de Bolsonaro se dispersaram em seguida. Não se sabe se o caso foi levado à polícia.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »