20/09/2022 às 22h04min - Atualizada em 20/09/2022 às 22h02min

Corrida de cavalo marajoara vira Patrimônio Cultural do Pará

O tombamento se deu através da Lei Estadual nº 9.706/22, publicada no Diário Oficial do Estado.

- jornalinfoco.com
dol

Búfalos, queijo e praias. Quando se fala em Marajó, estes três elementos logo vem na memória. Mas existe um outro elemento muito forte na cultura do marajoara: o cavalo. Sim, não se pode falar das vivências e cotidiano do arquipélago sem deixar de lado a figura do vaqueiro. Afinal, ela está presente em todos municípios da região.

Conjunto (jóquei e cavalo) percorre campos de fazenda, estradas e rios durante competição

Conjunto (jóquei e cavalo) percorre campos de fazenda, estradas e rios durante competição

 Conjunto (jóquei e cavalo) percorre campos de fazenda, estradas e rios durante competição | Emerson Coe/DOL

A relação homem e cavalo no Marajó é tão forte que vai muito além do uso destes animais no trabalho do campo. É também um esporte! A corrida de cavalo marajoara no município de Cachoeira do Arari, por exemplo, atrai dezenas de adeptos e milhares de turistas para prestigiar a disputa que envolve velocidade, resistência e conhecimento da geografia da região.

Museu do Marajó garante salvaguarda da cultura marajoara

É uma competição centenária, diga-se de passagem, que acaba de se tornar patrimônio cultural de natureza imaterial do Estado do Pará. O tombamento ocorreu através da Lei nº 9.706/22, sancionada pelo governador Helder Barbalho (MDB), cujo texto foi publicado na edição desta terça-feira (20), no Diário Oficial do Estado.

 ( Reprodução )
 

A lei foi aprovada no mês passado pela Assembleia Legislativa do Estado do Pará (Alepa). O projeto frisou que Cachoeira do Arari é um "berço de tradições culturais marajoaras" conhecidas nacionalmente.

Acesse também:

Projeto de capacitação para mulheres chega à Ilha do Marajó

Marajó recebe ações do Projeto Sampleados; conheça!


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »