03/08/2022 às 08h36min - Atualizada em 03/08/2022 às 08h25min

Usuários horas de filas para atualizar CadÚnico

Beneficiários devem fazer revisão e verificação de dados até o dia 12 deste mês, nos Cras. Em Belém, a população reclama da baixa quantidade de senhas e enfrenta longa espera

Heitor silva - jornalinfoco.com
dol

O Ministério da Cidadania prorrogou o cronograma de verificação e revisão de dados das pessoas inscritas no Cadastro Único (CadÚnico), principal instrumento de acesso a benefícios sociais, como o Auxílio Brasil. As famílias em Averiguação Cadastral, ou convocadas pelo processo de Focalização do Programa Auxílio Brasil (PAB), tiveram o prazo estendido até 12 de agosto. Já aquelas que tiveram os cadastros atualizados entre 2016 e 2017 estão convocadas para a Revisão Cadastral, até o dia 14 de outubro, para a atualização das informações. Os processos, que estão em seguimento desde fevereiro, incluem oito milhões de famílias.

A Averiguação Cadastral consiste em verificar as informações do CadÚnico por meio de informações inclusas em outros registros administrativos federais. Caso sejam identificadas incoerências no cruzamento de dados, a família deve comprovar que segue os critérios de elegibilidade ao Auxílio Brasil. Por outro lado, a Revisão Cadastral é o processo para a atualização dos registros do Cadastro Único em caso de mais de dois anos sem nenhuma alteração. Para a atualização ou averiguação de dados, as famílias devem comparecer a um Centro de Referência de Assistência Social (Cras) ou a um ponto de atendimento do CadÚnico do município.

Em ação complementar, a Focalização do PAB verifica informações das famílias beneficiárias do Auxílio Brasil que apresentam renda acima da linha de emancipação, prevista em R$ 525, e abaixo de meio salário-mínimo (R$ 606) por pessoa. O procedimento visa o acesso a programas sociais com famílias com o perfil permitido pela legislação. Nesse sentido, a atualização cadastral assegura que a qualidade e veracidade dos dados registrados no CadÚnico estejam de acordo com a realidade das famílias. Auxílio Brasil, Benefício de Prestação Continuada (BPS), Tarifa Social de Energia Elétrica (TSEE) e ID Jovem são alguns dos benefícios que exigem o cadastro atualizado.

LEIA TAMBÉM:

Pará: 600 mil têm direito a 65% de desconto na conta de luz

Santarém: 857 taxistas vão receber auxílio de R$ 1 mil

MOVIMENTAÇÃO

Ontem, as primeiras horas do dia foram marcadas por longas filas em frente às unidades dos Cras, em Belém. Para serem atendidos, os usuários relataram que foi preciso chegar no dia anterior para guardar lugar na fila, onde dormiram em cima de papelões. Com poucas senhas distribuídas no dia, a população reclamou da desorganização e dificuldades para ter um atendimento digno.

 No Cras da Terra Firme, na travessa Lomas Valentinas, uma fila virava para a avenida João Paulo II, às 6h. Cerca de 40 senhas foram distribuídas entre os turnos da manhã e tarde.

Para ser uma das primeiras atendidas, Clara Guimarães, 58, chegou à unidade às 17 horas da última segunda-feira (1º) e passou a noite em cima de um papelão, onde dormiu no chão. Ela procurava fazer o cadastro para o recebimento do Auxílio Brasil, procedimento que não conseguiu fazer pelo celular. “Eu tive de dormir aqui na frente e ontem ainda choveu de tarde. Quem está mais lá para trás (da fila) não vão atender. Eu já vim uma primeira vez e perdi, vim a segunda foi que eu consegui e agora eu vim aqui para resolver porque a moça na Caixa me disse para vir ver o que está acontecendo. O pessoal fica a noite toda e se faltar um documento eles não atendem, tem de ter o original e a cópia”, contou a trabalhadora doméstica.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »