02/08/2022 às 17h23min - Atualizada em 02/08/2022 às 17h16min

TRE instala canal de apoio às vítimas de violência no Pará

O canal de atendimento irá contribuir para o acolhimento e a escuta ativa de mulheres que se sentirem vítimas das diversas formas de violência.

Heitor silva - jornalinfoco.com
dol

O Brasil ainda é recorrente em casos de assédio e violência contra mulher. Notícias são disparadas todos os dias sobre esse assunto que, tragicamente, motiva crimes hediondos e graves violações dos direitos humanos. 

Diante dessa realidade, o Tribunal Regional Eleitoral do Pará (TRE-PA) viu a necessidade de instalar a Ouvidoria da Mulher, que servirá como canal de apoio às mulheres que estão em situação de violência doméstica e familiar. 

Rede municipal de Belém volta com 100% das aulas presenciais

Pará vence no STF: cobrança da Taxa Minerária é mantida

A solenidade de instalação da Ouvidoria da Mulher do TRE-PA ocorreu nesta terça-feira (2), na sede do tribunal, localizada no bairro da Campina, em Belém. A desembargadora Tânia Reckziegel, ouvidora da mulher do Conselho Nacional de Justiça, esteve presente no evento como convidada especial.

As servidoras que integram a ouvidoria passarão por treinamentos para oferecer atendimento humanizado e acolhedor, além de promover a orientação adequada para o encaminhamento dos casos aos órgãos competentes.

A juíza Rosa Navegantes é a coordenadora da ouvidoria da mulher no Pará e explicou como o canal de denúncias se originou.

"Eu trouxe essa ideia para a comissão de assédio. Fizemos várias palestras em abrigos femininos falando sobre assédio, descriminação, a participação na mulher na política, já que a mulher também sofre violência. Vi também que o estado de Goiás instalou a Ouvidoria da Mulher. A partir disso, a ideia foi amadurecendo no Pará, até que houve a proposta da criação do canal de denúncias no TRE", disse.   

A juíza Rosa Navegantes é a coordenadora da ouvidoria da mulher no estado do Pará

A juíza Rosa Navegantes é a coordenadora da ouvidoria da mulher no estado do Pará

 A juíza Rosa Navegantes é a coordenadora da ouvidoria da mulher no estado do Pará | Foto: Sancha Luna / RBATV

"O canal vai atender todas as mulheres, inclusive, as mulheres trans, porque são descriminadas e desrespeitadas e também têm direitos de participarem das candidaturas políticas", contou. 

O trabalho da Ouvidoria será integrado ao da comissão de incentivo à participação feminina na política e da comissão de prevenção e enfrentamento do assédio moral, sexual e da discriminação no âmbito regional.

Os serviços da Ouvidoria da Mulher podem ser acessados a qualquer momento por formulário eletrônico, disponível no site do TRE-PA ou, de segunda a sexta-feira, das 8h às 15h, pelo telefone e whatsapp (91) 98585-6449.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »